OPINIÃO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

NOVO SURTO DE PRIVATIZAÇÕES: QUE FUTURO PARA CABO VERDE? 29 Julho 2022

Penso que as leis em Cabo Verde devem ser revistas e que a assembleia deve ter a última palavra a dizer na privatização das empresas chaves do nosso país. Caso contrário, ficaremos sempre como Caranguejo, que é o desejo das grandes instituições mundiais, cmo o BANCO MUNDIAL e a FMI. Tenho dito a minha opinião.

Por:Efrem Soares*

NOVO SURTO DE PRIVATIZAÇÕES: QUE FUTURO PARA CABO VERDE?

Nós privatizamos e vendemos tudo em Cabo Verde, porque não confiamos em nós mesmos, somos desunidos, preferimos acreditar nos outsiders e ser burlados, do que unirmos para vencer.

Lotamos as empresas com família política, o rigor, que é a chave do negócio, é banalizado.

O programa de formação anual dos colaboradores não é tido em conta, daí uma boa fatia do orçamento das empresas é canalizada para o exterior na compra de prestação de serviços, que deveriam ser executados cá dentro, com especialização e certificação de quadros já formados, que trabalham por mais de dez anos nas empresas sem uma única formação, enquanto o mundo tecnológico pula e avança.

Pagamos a formação dos outsiders para nos prestar serviço, enquanto os nossos quadros, que tanto gastamos para os formar, ficam estagnados.

É pura e simplesmente por isso, que as empresas públicas em Cabo Verde não produzem, a ponto de apresentarem lucros e não darem prejuízos ao cofre de todos nós.

O privado vai fazer justamente o contrário, porque não quer e nem tem dinheiro a perder; Diminuição de encargos; começando na diminuição do pessoal, imprime o rigor e o pessoal reduzido passa a produzir a 100%, habilita o staff certificando-os, apesar de no início vai preferir ter na coordenação a mão de obra de confiança, por sinal da sua nacionalidade.

Vão pressionar as agências reguladoras, na intenção de obterem tarifas da venda do produto, à sua conveniência, caso contrário ameaçam a paralisação ou corte de serviços.

Ainda na fase da adaptação, sem fazer os investimentos propostos, exigem que o grosso dos investimentos, sejam feitos pelos 49% do estado, alegando que o país é vosso, caso contrário vamos embora.

É esta a experiência que temos da privatização, para dizer a verdade, foi péssima! Porque o investidor outsider, vem com um único objetivo de ganhar dinheiro! Não porque gostam da cor da nossa pele, dos nossos lindos olhos, ou de querer nos ajudar a sair da linha da pobreza.

Trazem na mente que somos um país dos atrasados e vieram fazer um favor de nos conduzir na gestão e introdução das outsiders expertise, e introduzir know how nas nossas empresas, coisas que hoje em dia está à disposição de qualquer um, nas montras do mundo inteiro, basta comprar para nós, em vez de pagar o outro de preferência outsider para obter e depois nos prestar serviços!

Penso que as leis em Cabo Verde devem ser revistas e que a assembleia deve ter a última palavra a dizer na privatização das empresas chaves do nosso país. Caso contrário, ficaremos sempre como Caranguejo, que é o desejo das grandes instituições mundiais, como o BANCO MUNDIAL e a FMI. Tenho dito a minha opinião.

MESMO ASSIM ROGAMOS A DEUS PARA QUE TUDO DÊ CERTO, CASO CONTRÁRIO SERÁ O CAUS.

...

*Cidadão atento

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project