INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

RD Congo: Ébola voltou 09 Fevereiro 2021

A OMS-Organização Mundial de Saúde anunciou no domingo, 7, que enviou uma equipa ao leste congolês onde na última semana morreu uma agricultora da aldeia de Biena, Butembo. A "urgência sanitária internacional" que é o Ébola volta a trazer o medo três meses após ter sido declarada extinta na região do Butembo, quando foi dada alta ao "último paciente" em 16 de outubro.

A OMS sublinha no comunicado, datado de ontem na capital congolesa, que "não é raro que casos esporádicos aconteçam após uma grande epidemia", como a que assolou a região do Butembo, no Norte-Kivu, "que foi um dos epicentros da precedente epidemia de Ébola no leste da RDC".

"A equipa esteve in loco a acompanhar mais de 70 contactos" da vítima mortal e a supervisionar "a desinfeção dos locais por onde ela passou", informou ainda a delegação da OMS em Brazzavile.


Risco permanece

O ministro da Saúde, que esteve na noite de domingo na televisão nacional congolesa, evitou declarar a décima-segunda epidemia. Mas em novembro, ao declarar o fim da décima-primeira epidemia tinha avisado que "é elevado o risco de ressurgimento da doença do vírus Ébola" na RDC.

Mais de 320 mil pessoas foram vacinadas, por ocasião da décima epidemia , entre 1 de outubro de 2018 e 25 de junho de 2020. "Registaram-se 3.481 casos, 2.299 óbitos e 1.162 pessoas sobreviveram", segundo a OMS.

A primeira vacinação do Ébola foi realizada com duas vacinas de dois diferentes laboratórios (Merck e Johnson&Johnson). A mesma estratégia doi utilizada na décima-primeira epidemia do vírus (identificado em 1976 por Peter Piot e a equipa internacional que integrava o professeur congolês Muyembe).

Ébola ressurge na RD Congo que regista 23.599 casos e 681 óbitos. devidos à Covid

A RDC faz parte do grupo oeste-africano atingido pelo Ébola, desde a epidemia de 2013-16 que provocou onze mil mortes. A sua exportação para a Europa e Estados Unidos, através de funcionários de organizações humanitárias, levou a OMS a declará-la "urgência sanitária internacional".

A doença do vírus Ébola teve origem em animais infetados que a transmitiram aos humanos. Os principais sintomas são: febre intensa, vómitos, sangramento e diarreia.

Fontes: AFP/Reuters/ Relacionado: Ébola é "urgência sanitária mundial" mas nenhum país deve fechar fronteiras, diz OMS — 1676 mortes desde agosto na RD Congo, 19.jul.019. Foto (Reuters): Desinfeção dos locais visitados pelas vítimas do vírus Ébola, numa aldeia do leste congolês.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project