DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

REPORTAGEM: Cabo-verdiano leva basquetebol até à China sem abandonar cenário tropical 05 Setembro 2022

Da Ilha do Sal, em Cabo Verde, até à Ilha de Hainan, no extremo sul da China, são 13.500 quilómetros de distância, mas o cabo-verdiano Waldir Soares, que está ali radicado, sente pouca diferença.

REPORTAGEM: Cabo-verdiano leva basquetebol até à China sem abandonar cenário tropical

“O ambiente é praticamente o mesmo: a cultura turística, as zonas balneares, o mar, restaurantes, bares. É a mesma cultura”, diz à agência Lusa.

Waldir Soares, de 42 anos, chegou à China em 2011, para estudar Língua, Cultura e História da China. No ano seguinte, pediu transferência para o curso de Gestão de Turismo.

O destino, a ilha tropical de Hainan, e em particular a cidade balnear de Sanya, surpreenderam-no pelo contraste com a imagem que tinha formado da China, através das “notícias, televisão ou cinema”.

Beneficiando do clima tropical, baixa densidade populacional e natureza quase intacta, num país industrializado e com metrópoles densamente povoadas, a ilha é conhecida pelo turismo de saúde e bem-estar.

“Isso faz parte do plano do Governo: manter a natureza, as montanhas, o verde, a qualidade do ar; a impressão digital da ilha como ela é”, descreve Soares.

Sanya popularizou-se também por receber grandes eventos internacionais, incluindo a Miss Mundo, a regata Volvo Ocean Race ou o Met-Rx World’s Strongest Man (“O Homem Mais Forte do Mundo”, em português), o evento internacional mais importante do atletismo de força.

“Aqui, eles têm o poder financeiro de organizar eventos internacionais, de levar Sanya para fora”, diz Waldir Soares. “Em Cabo Verde, fazemos o contrário: trazemos o mundo até nós, o que é mais difícil, através de eventos tradicionais, festivais de música nas praias, o artesanato”, compara.

Em Sanya, o cabo-verdiano manteve também a ligação ao basquetebol, enveredando pela carreira de professor, após terminar os estudos.

“A minha vida rodou sempre em torno do basquetebol”, diz Soares, que chegou a ser convocado pela seleção nacional de Cabo Verde, apesar de nunca ter chegado a participar em competições internacionais, e jogou em clubes na Ilha do Sal, Ilha de São Vicente e cidade da Praia.

Numa quarta-feira ao final da tarde, o cabo-verdiano orienta um grupo de cinco alunos, com idades entre os 4 e 6 anos, num pavilhão situado no centro de Sanya. Nas costas da sua camisa está estampada a palavra “China”.

“O basquetebol é o desporto popular que todo o chinês quer praticar, muito mais do que o futebol”, explica Soares.

A figura de Yao Ming, ex-basquetebolista chinês dos Houston Rocket, é uma das mais respeitadas na China. O país asiático é também o segundo mercado mais importante para a indústria, superado apenas pelos Estados Unidos, representando centenas de milhões de dólares em receitas da liga norte-americana de basquetebol NBA.

A Associação Chinesa de Basquetebol (CBA) estimou que o número total de praticantes regulares no país é superior a 300 milhões. A China é a nação mais populosa do mundo, com mais de 1,4 mil milhões de habitantes.

“O basquetebol é forte na China devido à cultura que está associada ao desporto: o vestuário, as marcas e os modelos de ténis, o espetáculo da NBA”, frisa Soares. “Isso leva a que o número de praticantes cresça consideravelmente”.

A prática desportiva num país que durante décadas impôs a política “um casal, um filho”, é também importante para os mais jovens socializarem.

“Muitas famílias têm apenas um filho e esse filho fora da escola está apenas com adultos, mas quando ele pratica basquetebol, ou futebol, badminton, um desporto de grupo, está numa comunidade desportiva, e vai ter uma educação desportiva: cooperação, trabalho em equipa, muitas outras coisas que são importantes na vida futura de uma criança”, aponta Soares. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project