RADAR

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Radar da Edição 900 do Jornal A Semana 11 Julho 2009

Férias
“A Semana” vai de férias “xintadu na crista de ónda”. É o maior, o melhor e o mais notável. “Y kenha ki ten raiba pa txupa limon”. Agora, para que não digam que não ajudamos, deixamos o campo livre para muita gente. Cresçam e apareçam!!!. “bai bai luki luki”. Até Setembro.

JPEG - 28.2 kb
1000 paus… alguém anda a comprar gato por lebre. Nos bóka “Ka sta la”…

Parece que a nossa companhia aérea de bandeira anda a dar bandeira por aí. Aparentemente está a cumprir com a regra de alimentar os passageiros domésticos quando o atraso do voo é considerável (3 horas ou mais). E aí há quem aproveite. Num dos novos aeroportos, o snack bar fornece um almoço de menos de 200 gramas, em prato descartável, e um refrigerante pelo valor de 1000 paus… Bom negócio heim? Será só o dono do snack a ganhar com isto?

Face às actuais denúncias de corrupção na CMSV relativamente à venda de terrenos, ante a (in) capacidade das autoridades (in) competentes e a mais que prolongada demora das instâncias inferiores em provar tais denúncias, eis que foi avistado lá pelos lados de pracinha de igreja, mais concretamente a voar sobre a CMSV, a justiceira Zau-e-tchau, para punir com o seu chicote de “imbig d’boi” os malfeitores que andam a contribuir para denegrir a secular gestão transparente da bendita “Kambra”.

Kumbósa I
Estas coisas de “Kumbósas” acaba sempre em vexame, mesmo nos locais mais inesperados. Foi o que aconteceu com duas polícias da Fronteira, que resolveram disputar na tapa o troféu bem amado. E se assim pensaram, melhor fizeram no seu posto de trabalho e bem na frente das dezenas de passageiros que esperavam passar a fronteira para apanhar o voo de Fortaleza. Diz quem viu que as moças, bem treinadas nas artes marciais, deram um show de briga. Pena que o gostosão – motivo da briga e uma alta potente da PN -, não estava lá para declarar a vencedora.

Kumbósa II
Agora, as duas agentes da autoridade estão suspensas, com um processo disciplinar às costas. E por ironia do destino, dizem as fontes do Radar , o processo foi cair nas mãos dos “seus mais que tudo” Sim, das duas. Radar fica de olho, a vigiar esse coração bi-partido..Que vexame de autoridade!!!

Papá Babado
Lívio Lopes está “parídu” de fresco. A mais nova joia do ministro da Administração Interna veio ao mundo no último sábado e já tem nome e tudo. Chama-se Marly e é uma menina linda de morrer, diz quem viu. O Sete é amanhã e promete “fésta bédju”, ao som de Talaia Baxu. “Y komu Seti ka ta konvidadu”, Radar não vai perder essa, porque Sete de “Fidju di Ministru” tem de estar à altura das funções do papá. Até lá um xi coração do Radar, que Deus te abençõe Marly, para que continues a dar motivos de alegria ao papá e à mamá.

Repor a Verdade
A Associação Sindical dos Magistrados de Cabo Verde, conjuntamente com os Juízes do Tribunal Judicial da Comarca de São Vicente, vem, por este meio, manifestar a sua indignação, repúdio e exigir a reposição da verdade, face a um texto publicado na página 7 do jornal A Semana, no dia 05 de Junho do corrente ano, intitulado “Bofetada”.

Nesse texto, manchou-se de forma irresponsável a imagem dos Magistrados Judiciais em exercício de funções no Tribunal Judicial da Comarca de São Vicente e a classe da Magistratura Judicial no seu todo, ao se publicar uma falsidade, segundo a qual “um Juiz foi agredido à bofetada pelo seu arguido”.

Em abono da verdade, o que aconteceu, literalmente, foi o seguinte: Após a leitura duma sentença em que se condenou quatro indivíduos pela prática de crimes de roubo, três em penas efectivas de prisão, um deles, após o Juiz se ter retirado da sala de audiências e acomodado no seu gabinete, pôs-se em fuga e ao passar pela porta da entrada principal do Palácio da Justiça pontapeou-a, ficando um dos vidros da mesma partido.

Assim que esse indivíduo saiu do edifício foi recapturado por dois funcionários do Tribunal e reconduzido ao estabelecimento prisional da Ribeirinha.

Devido ao sucedido, já se diligenciou no sentido de se fazer o levantamento dos danos provocados, visando a sua responsabilização por tal facto, e ainda pela eventual prática do crime de evasão violenta.

Esse episódio, em si grave, coloca à nú, uma vez mais, a questão da segurança dos Magistrados que, quase diariamente, coabitam com indivíduos perigosos e em situações delicadíssimas, ficando completamente à mercê da sua sorte, situação essa que se viu agravada ainda mais, pois ao invés do sucedido merecer um tratamento sério e condizente com a verdade, inventou-se uma mentira disparatada, que foi dado um tom jocoso, e o Jornal A Semana fez o “favor” de a espalhar.

No mínimo esperava-se que houvesse da parte desse órgão de comunicação social um pouco de respeito pela verdade e de sensibilidade, ante à situação de vandalização do património público, que o impelisse a, pelo menos, procurar saber o que na realidade aconteceu, para a partir daí informar então o público que, diga-se de passagem, tem direito a uma informação fidedigna.

Não obstante a mentira já estar espalhada pelos quatro cantos do mundo, não se podendo mais voltar atrás, sempre se poderá, ao menos, remediar, procurando repor a verdade, o que se exige.

Assim, solicita-se a publicação deste comunicado no jornal em causa e com o mesmo destaque conferido ao texto em crise, a bem do respeito devido a uma das instituições basilares do nosso pais e até a bem da dignidade dos próprios Juízes da Comarca de S. Vicente e da Magistratura Judicial de uma forma em geral.

Pelo Presidente da Direcção da ASMCV, Sr. Dr. Simão Santos e pelos demais Juízes de S. Vicente, Srs. Dr.s Circe Neves, Manuel Andrade e Bernardino Delgado

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project