ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Reforma do Conselho de Segurança passa de “brincadeira” a “discussão séria” – Guterres em Cabo Verde 21 Janeiro 2023

O secretário-geral da Nações Unidas, António Guterres, defendeu hoje que a reforma do Conselho de Segurança, com o alargamento a África, tem condições para deixar de ser “uma brincadeira” e passar para “uma discussão séria”.

Reforma do Conselho de Segurança passa de “brincadeira” a “discussão séria” – Guterres em Cabo Verde

Eu diria que, pela primeira vez, vai ser possível discutir a sério essa reforma, porque até agora a discussão era uma brincadeira, para falar com total sinceridade. Porque não havia documento de base para a discussão e não havia relatório da discussão. Ou seja, todos os anos a comissão era empossada, a comissão trabalhava durante um ano, não havia nada de ’input’ para essa comissão e não havia nada de ’output’ que essa comissão pudesse dar”, analisou António Guterres.

O secretário-geral das Nações Unidas respondia a uma pergunta durante o evento público “Prime Minister Speaker Series”, com o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, no Mindelo, ilha de São Vicente, onde está de visita.

Se me tivesse feito essa pergunta há um ano, eu dizia claramente não. Quando a faz agora, aconteceu algo de estranho na última Assembleia Geral das Nações Unidas”, começou por apontar ao responder à pergunta sobre a possibilidade da reforma do Conselho de Segurança avançar durante o seu mandato.

Recordou que nessa Assembleia Geral, o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, mostrou-se “aberto à presença de membros permanentes do Conselho africanos” e da América Latina, e que o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergey Lavrov, “disse que veria com bons olhos a entrada do Brasil e da Índia para o Conselho de Segurança

Os Estados Unidos e a Rússia ou a Federação Russa são claramente duas peças fundamentais para que alguma reforma seja possível (…) Agora, creio que há condições para que a comissão que trata da reforma do Conselho de Segurança possa efetivamente começar uma discussão séria. Será que essa discussão leva ou não a algum resultado? É ainda cedo para o dizer porque todos conhecemos as dificuldades”, reconheceu.

As dificuldades, disse, são provocadas pelos cinco países membros permanentes do Conselho de Segurança, com direito de veto (China, Estados Unidos, Rússia, França e Reino Unido) e “pelas relações, entre outros Estados, na escolha de quem representa outras regiões”.

E sabemos que esse problema também existe. Portanto, não quero dar uma falsa esperança. Mas pela primeira vez, vai poder haver uma discussão séria”, reconheceu.

António Guterres iniciou hoje uma visita de três dias a Cabo Verde, no âmbito da Ocean Race, a maior regata do mundo que de 20 a 25 de janeiro faz escala na ilha cabo-verdiana de São Vicente, participando na segunda-feira, também no Mindelo, na Ocean Summit. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project