ESPECIAIS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Retoma Económica: Empresas ligadas ao turismo satisfeitas com o volume de vendas na chamada época baixa 10 Setembro 2022

O ASemana contactou diversas instituições do setor turístico na ilha do Sal e constatou que a grande maioria está satisfeita com os negócios realizados durante este mês de setembro, considerado parte da época baixa. As taxas de ocupação hoteleira e de adesão dos turistas aos serviços conexos, como transferes e excursões, são um sinal positivo de retoma económica pós-pandemia covid 19.

Retoma Económica: Empresas ligadas ao turismo satisfeitas com o volume de vendas na chamada época baixa

A direção dos hotéis pertencentes ao Grupo Oásis Atlântico disse ao nosso jornal que a taxa de ocupação tanto no Hotel Belorizonte como no Salinas Sea “só não é de cem por cento devido às chuvas fortes que tivemos há dias, que nos obrigaram a bloquear alguns quartos para obras de manutenção”. Por este motivo, afirma Filipe Nazaré, a taxa de ocupação nos dois hotéis ronda os 85 ou 90 por cento.

O Hotel Halos, também situado na Avenida dos Hotéis, em Santa Maria, está completamente cheio. “Não temos quartos disponíveis”, afirma Susana Almeida. Esta responsável também está satisfeita com a taxa de ocupação do segundo hotel do grupo, o Sobrado.

O Sobrado está a ficar muito bem composto, penso que vamos ultrapassar os 50 % da taxa de ocupação no final do mês, portanto para a época que é, creio que estamos bastante bem”, assegura.

Estando a ilha do Sal nas vésperas do festival musical de Santa Maria, vários são os hotéis que optaram por criar tabelas promocionais como forma de incentivar o turismo interno. São os casos do Odjo d’Água Hotel e também do Robinson.
O serviço de transfer turístico de e para o aeroporto internacional da ilha também teve uma procura bastante satisfatória no início deste mês de setembro, garante o empresário Tonny Fonseca, que realiza transportes privados e executivos, bem como excursões e outros passeios turísticos na ilha do Sal.

Quando a procura ultrapassa a capacidade da minha frota, contrato outros proprietários de automóveis para conseguir dar resposta a todas as demandas. Estou bastante satisfeito com os resultados alcançados na primeira semana de setembro. Em apenas oito dias já consegui pagar cerca de 40 mil escudos para outras viaturas que trabalharam comigo”, garante Fonseca, da Transporte Monteiro.

As agências de viagem também confirmam ainda que tem havido também grande busca por bilhetes de avião e de barco, mas, infelizmente não têm conseguido dar resposta à procura devido aos problemas que o país enfrenta no setor dos transportes neste momento, o que, confessam ao nosso jornal, impede um possível aumento do seu volume de negócio.

Em geral, os responsáveis das empresas turísticas contactadas pelo nosso jornal na ilha do Sal estão optimistas e confessam-se esperançosos na recuperação económica do turismo na ilha e no país nos próximos meses.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project