Presidenciais 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ribeira Grande: Candidatos pedem mais infraestruturas e propõem melhorias no setor da justiça 06 Outubro 2021

A justiça em Cabo Verde está a merecer uma atenção especial por parte dos vários concorrentes às eleições presidenciais de 17 de setembro. Os candidatos a PR na Ribeira Grande de Santiago foram interpelados por este jornal sobre as suas propostas para o setor da justiça e prometem trabalhar para a busca de soluções partilhadas para os problemas existentes, com destaque para a falta de infraestruturas e morosidade da justiça no país.

Ribeira Grande: Candidatos pedem mais infraestruturas e propõem melhorias no setor da justiça

Segundo o diretor de campanha de José Maria Neves, em Ribeira Grande, Edmir Luciano, o candidato, que esteve esta tarde em campanha na cidade “berço de Cabo Verde”, chama a atenção para a necessidade da falta de infraestruturas judiciais no concelho. A equipa da JMN cita, como exemplo, o fato do concelho contar ainda com apenas uma Esquadra da Polícia. Uma instituição, segundo ele, que desempenha um papel importante junto do poder judicial e na segurança dos cidadãos. JMN propõe ainda a reforma das Forças Armadas, como componente fundamental das forças de segurança no país.

Caso for eleito PR no próximo dia 17 de outubro, José Mara Neves promete ser um Presidente da República que une os cabo-verdianos, um fiscalizar da ação governamental e arbitrar imparcialmente o jogo político em Cabo Verde. Quer dar a sua contribuição para o relançamento da economia no pós-pandemia e ajudar o governo na busca de mais financiamentos para apoiar as empresas, a sociedade civil e “acelerar o passo” nesse processo de recuperação da economia do país devastada pela crise provocada pela pandemia de covid19.

Ouvido também por este Jornal, o diretor da campanha de Carlos Veiga na Ribeira Grande de Santiago revelou que, caso vença as eleições presidenciais, Kalu demandará ao governo uma especial atenção às condições de justiça no município. Falou também da falta de infraestruturas de justiça na «Cidade Velha».
CV promete ser o porta-voz de todos os cabo-verdianos, sobretudo dos mais vulneráveis, dando tudo de si para influenciar as instituições e a sociedade a lutar contra a pobreza, as desigualdades sociais e as assimetrias regionais. “Tudo para levar a bom porto o desenvolvimento e o progresso de Cabo Verde”, revelou a fonte referida.

Por outro lado, o diretor de campanha do candidato Hélio Sanches realça a importância da criação de um gabinete de apoio à justiça e propõe exercer uma magistratura de influência forte junto dos órgãos da soberania e da sociedade civil.
“Caso eu for eleito Presidente, darei muita atenção às áreas da justiça e da educação. Mas também não deixarei de me preocupar com a redução das desigualdades e pobreza extrema, a política externa e a segurança interna. Darei ainda uma atenção muito especial à nossa juventude, que é a nossa maior força”, garantiu Sanches,

Já Casimiro de Pina, reitera que o seu projeto, enquanto candidato, é para defender a Constituição e que uma vez eleito irá cumpri-la fielmente. Afirma que será uma voz atenta e ativa quanto aos problemas da sociedade cabo-verdiana, prometendo, igualmente, uma magistratura de influência forte e esclarecedora.

Um Presidente, ressalta, “tem como funções a representação interna e externa, sendo o símbolo da unidade da Nação e do Estado”, concluiu De Pina.

Até ao fecho desta peça não obtivemos informações sobre os restantes candidatos: Joaquim Monteiro, Gilson Alves e Fernando Delgado sobre a temática da justiça.

Ireneia de Jesus Semedo Tavares/Redação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project