CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ribeira Grande/Festa do Município: Situação pandémica domina discursos dos grupos políticos na Assembleia Municipal 17 Janeiro 2022

A situação pandémica e as suas consequências na vida dos munícipes dominaram os discursos dos representantes das três bancadas políticas durante a sessão solene da Assembleia Municipal da Ribeira Grande comemorativa do Dia do Município local.

Ribeira Grande/Festa do Município: Situação pandémica domina discursos dos grupos políticos na Assembleia Municipal

O representante da bancada do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – oposição na AM), José Manuel Monteiro, manifestou-se “apreensivo com o evoluir da situação pandémica” pois, conforme disse, o vírus parece não dar tréguas e “insiste em pôr à prova a capacidade de resiliência dos habitantes deste planeta”.

José Manuel Monteiro afirmou que a situação pandémica, aliada às secas sucessivas registadas nos últimos três anos, “contribuíram negativamente” para a economia cabo-verdiana, “fazendo-a regredir, com consequências na vida de todos”.

Por isso, Monteiro saudou de forma particular os profissionais de saúde e outros intervenientes “pela prestimosa contribuição que têm dado, em todas as frentes e de forma abnegada e profissional, no combate a esta pandemia”.

Por outro lado, a comemoração do 17 de Janeiro, 560º aniversário do achamento da ilha de Santo Antão, em 1462, pelos navegadores portugueses Luís de Cadamosto e António da Noli, é, no dizer de José Manuel Monteiro, momento de “profunda reflexão sobre o percurso feito” até esta data e destacou “as contribuições dadas por cada cidadão e cada um dos sistemas e actores políticos no processo de desenvolvimento” do concelho da Ribeira Grande.

A representante da bancada do grupo independente Alternativa Ribeira Grande (ARG – oposição na AM), Licínia Leite, destacou o facto de o momento actual não ser de comemorações “como Ribeira Grande merece” mas é momento “de entrega e de definição de uma nova era para Cabo Verde e, sobretudo, para o município”.

“Celebrar é, também, reflectir, mostrar os ganhos, os desafios e os défices que ainda temos no nosso concelho”, disse Licínia Leite, que reconheceu que “2021 não foi um ano fácil” porque o concelho enfrentou “grandes dificuldades com a crise económica, a nível do abastecimento de água, do saneamento, da juventude, do emprego e do rendimento”.

A representante da ARG reconhece “ganhos significativos” a nível da habitação mas entende que o sector “ainda carece de mais atenção do poder local”.

Em representação do Movimento para a Democracia (MpD – situação) o deputado municipal Manuel Medina considerou que celebrar o Dia do Município é motivo de júbilo e “momento propício para fazer um balanço do que já se fez, de reflectir sobre os desafios que o concelho ainda enfrenta” e, ainda, de “perspectivar o futuro do concelho da Ribeira Grande numa lógica de promoção do seu desenvolvimento e do bem-estar dos seus munícipes”.

Na linha dos outros oradores, Manuel Medina também considerou que o concelho, o país e o mundo vivem mergulhados numa das piores crises pandémicas jamais vistas no mundo, “com forte impacto negativo nos sectores da saúde, da segurança social e da economia”.

“Como se não bastasse, o país e o concelho sofrem com mais um ano de seca severa, consequência da ausência total de chuvas no ano 2021”, disse Manuel Medina, constatando que essa situação “põe em causa a sustentabilidade das famílias rurais, cujo rendimento depende, essencialmente, da agricultura e da criação de gado”.

No seu discurso, Manuel Medina destacou aspectos positivos da vida municipal constatando que Ribeira Grande “é um grande concelho” porque se apresenta “limpo, arrumado e organizado”, o que faz dele “um dos mais belos do País”, mas reconhece que as pessoas continuam com mais exigências.

“Exigem mais e melhores políticas públicas, qualidade de vida e bem-estar social, emprego público, espaços verdes e de lazer, infra-estruturas desportivas, melhores condições de habitabilidade e desencravamento de localidades”, enumerou Medina considerando que são exigências legítimas.

O aumento de casos de covid-19 no concelho da Ribeira Grande condicionou a festa deste ano, tendo em conta que obrigou ao cancelamento de boa parte do programa, sobretudo nos sectores cultural e desportivo ficando apenas a sessão solene e o “encontro da lusofonia”.

As actividades religiosas também foram condicionadas, com a paróquia de Nossa Senhora do Rosário a cancelar a habitual procissão que devia seguir-se à solene concelebração eucarística presidido, este ano, pelo padre António Silves Ferreira, conhecido por “padre Ima”. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project