CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Sal: Condutores de taxis e hiaces preocupados com falta de iluminação e sinalização rodoviária 16 Fevereiro 2021

Os condutores de hiaces e proprietários dos transportes públicos do Sal afirmam estar descontentes e pouco satisfeitos com a falta da sinalização e iluminação na estrada que dá acesso à cidade de Santa Maria e às localidades de Palmeira e Pedra de Lume em Espargos. Denunciam ser uma situação prejudicial para a segurança dos seus passageiros e a ilha mais turística do arquipélago de Cabo Verde.

Sal: Condutores de taxis e hiaces preocupados com falta de iluminação e sinalização rodoviária

Em conversa com o jornal A Semana, o presidente da associação dos hiaces (APROIACE), General Cotapi, afirma que a situação está “péssima”, e voltou a apelar à Câmara Municipal do Sal que resolva “rapidamente” esses problemas rodoviários.

As reclamações dos condutores, além da falta de iluminação e sinalização rodoviária, são relacionadas também à má condições das estradas.

Conforme aquele responsável expressou à reportagem do Asemanonline, para os motoristas já é altura de os poderes públicos arrancarem com as obras, já que há quase quatro meses (a 28 de outubro de 2020) que o presidente da Câmara do Sal anunciou que o contrato de empreitada da obra pública de reabilitação das estradas nacionais do Sal ( Espargos-Santa Maria; Espargos-Palmeira; Espargos-Pedra de Lume) já estava assinado e que este é um problema que assola já muito tempo a ilha.

O Taxista Vanderley Neves teme o risco de acidentes por conta da escuridão e falta de sinalização nas vias referidas. Disse ainda que isso provoca um certo receio aos turistas que saem à noite e que não conhecem a ilha.

"A estrada de santa Maria precisa de iluminação porque isso não favorece em nada os condutores, tão pouco os turistas. A falta de iluminação e sinalização causa uma certa estranheza àqueles que visitam a ilha pela primeira vez. Os passageiros reclamam do problema e temem pela falta de segurança", expressou.

Vanderley Neves acredita ainda que esta situação não favorece em nada a imagem da ilha. “É uma pena que uma ilha turística como a ilha do Sal esteja a passar ainda por estes problemas", destacou.

Já o Arlindo Monteiro, condutor de taxi, salienta que esta situação traz mais prejuízos para os condutores que têm que estar constantemente a colocar peças novas no carro, podendo "até correr o risco dos pneus arrebentarem no caminho, devido à má condição das estradas.

Assim como os condutores, grande parte dos passageiros da ilha, também reclamam do problema e temem pela falta de segurança.

É de recordar que, o edil Júlio Lopes anunciou a 28 de outubro de 2020 a assinatura de um contrato entre as Estradas de Cabo Verde e o Serviço de Manutenção Corrente de Estradas (SEMAC), o qual garantia a manutenção contínua das estradas nacionais do Sal durante dois anos, "uma obra que, segundo os condutores, ainda não viram nem sinal do arranque". Esta obra do Governo de Cabo Verde está orçada em 52 mil contos.
LC/Redação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project