SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Covid-19 Sal/ Delegado de Saúde: “O uso incorreto de máscaras e organização de festas e convívios familiares é a causa do aumento de casos da doença na ilha” 27 Mar�o 2021

O delegado da Saúde, no Sal, afirmou, esta sexta-feira, ao Asemanaonline que o aumento “notável” de casos de Covid-19 na ilha está associado ao relaxamento das medidas de contenção, com as pessoas a não usarem máscaras nas ruas e a organizarem festas e convívios familiares. José Rui Moreira aproveita este momento para apelar aos salenses a se acautelarem e usarem máscaras para que o "país possa voltar à normalidade". Observadores atentos admitem, no entanto, que o acolhimento recente de voos turísticos com movimentações nas ruas pode também estar na origem do aumento de casos de Covid-19 na ilha mais turística de Cabo Verde.

Covid-19 Sal/ Delegado de Saúde: “O uso incorreto de máscaras e organização de festas e convívios familiares é a causa do aumento de casos da doença na ilha”

A ilha do Sal tem tido, nesta semana, um aumento significativo de casos de Covid-19 - 103 infetados nos últimos três dias - atribuído sobretudo “ao relaxamento das medidas de contenção, com a organização de festas e convívios familiares, sem o uso adequado de máscaras de proteção», afirmou o Delegado de Saúde na ilha.

Segundo José Rui Moreira, que falava em entrevista exclusiva ao Asemanaonline, considera que o vírus está constantemente a circular e por isso é normal a sua entrada na ilha-exortou as pessoas a usarem máscaras. "O vírus existe e as pessoas sabem disso e mesmo assim continuam a não usar máscaras. Vivem normalmente como se nada acontecesse, sempre a festejar, por isso a doença acaba por se alastrar. Veja, se uma pessoa tiver infetado com a covid-19 e não se proteger é claro que as pessoas da sua casa correrão o risco de contrair o vírus. O vírus sempre circula de uma forma ou de outra. É provável que pessoas das outras ilhas ou de outros países tenham entrado na ilha do Sal com o vírus, mas nós não podemos afirmar que esta é uma das principais causas, se as pessoas usarem máscaras não irão contrair o vírus", salientou.

Segundo os dados do boletim epidemiológico, divulgado pelo Ministério da Saúde, somente nos últimos três dias a ilha do Sal contabilizou 103 casos positivos de covid-19, sendo por três vezes a segunda ilha com maior número de casos positivos de covid-19 nesta semana.

Questionado se a abertura da ilha a voos internacionais poderá estar por detrás deste aumento ‘repentino” de casos, José Rui Moreira alega que isso não pode ser afirmado já que os turistas entram no país já com testes negativos. “As pessoas sempre viajam com máscaras, com testes negativos. Há casos de turistas que descobriram o víruas no país, mas isso não é o caso, já que os estrangeiros sempre se protegem. Acredito que não é um estrangeiro que vem para a ilha do Sal para espalhar uma doença porque eles sabem. Não se trata das pessoas que estão nos hotéis, mas sim das pessoas que estão em confinamento e não respeitam as regras”, revelou.

Segundo o delegado de Saúde, medidas são tomadas para conter este aumento. “Tentamos, todos os dias, convencer as pessoas a usarem máscaras. Se conseguirmos convencer todas as pessoas que vivem numa mesma casa a usarem máscara, nós conseguimos pelo menos controlar o vírus. Repare, isolamos as pessoas com o vírus em casa, chamamos frequentemente para controlar, mas não sabemos até que ponto essas pessoas respeitam as regras", afirmou.

Ministro da Saúde ausculta autoridades

Já o Ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, que se encontra no Sal, para uma visita de três dias para se inteirar da situação e da evolução do vírus do Sars-cov2 na ilha, afirma que o vírus circula permanente e por isso não é possível apontar uma razão concreta. “O vírus entra em todas as ilhas. Por mais que as pessoas façam testes à sempre a possibilidade do vírus circular e isto é normal e mesmo em situações de casos que eventualmente já tiveram a imunização. A imunidade não é para toda vida. Só pode ser garantida até 6 meses. Muitos doentes que já tiveram uma infeção pode contrair novamente o vírus. Não é possível dizer que é por causa de tal coisa porque é uma situação que ninguém consegue controlar. Conseguíamos controlar se no caso nunca tivesse nenhum caso e tivéssemos que permanecer fechados com a possibilidade de ninguém entrar”, reiterou.

No entanto, o governante exortou a população a cumprir as regras sanitárias, de modo a evitar a propagação do vírus. “A população precisa controlar isso. Sal é uma ilha turística então se podermos contribuir para que tudo se volta a normalidade será ótimo”, manifestou.

O minisitro da Saúde participou numa reunião, onde se inteirou da situação e da evolução da do vírus e traçar estratégias de combate e propagação da covid-19, na ilha do Sal. A mesma contou ainda com a presença do presidente da Câmara Muncipal, Júlio Lopes, representantes da Câmara do Turismo, da Protecção Civil e da Polícia Nacional.

Conforme admitiu Arlindo do Rosário, neste momento a ilha conta com três doentes internados com Covid-19.

Depois de se cumprir com a primeira fase de vacinação dos profissionais de saúde, o Ministro adianta que já está tudo preparado para se iniciar uma segunda fase. “Na próxima semana pessoas com mais de 60 anos serão também vacinados, assim como os elementos da proteção civil”, revelou.

A ilha do Sal contabiliza neste momento 174 casos ativos, 5 óbitos, 817 casos recuperados, prefazendo um total acumulado de 998.

A nível nacional, o País passa a contabiliza 722 casos ativos e 16.011 casos recuperados, em um total de 16.911 casos positivos acumulados.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project