Presidenciais 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Sal: Diretor de campanha de Neves alerta que Cabo Verde está "doente", Hélio Sanches defende que é preciso haver "mudanças para se manter o equilíbrio" e restantes candidatos ausentes 05 Outubro 2021

O Diretor de campanha de José Maria Neves, no Sal, Júlio Rendall, defende que Cabo Verde está "pobre e doente" e precisa de um Presidente da República que se impõe. Já César Almeida, em representação do candidato Hélio Sanches, considera «ser preciso haver mudanças para se manter o equilíbrio». Os outros candidatos ainda não iniciaram campanha eleitoral na ilha, isto devido à falta de recursos. Com a equipa de Carlos Veiga não foi possível este jornal chegar à fala com seus representantes locais.

Sal: Diretor de campanha de Neves alerta que Cabo Verde está

Em declarações ao Asemanaonline, o diretor de campanha do candidato José Maria Neves, no Sal, Júlio Rendall, disse que Cabo Verde está “doente” e precisa de um Presidente da República que se impõe perante os problemas do país.

“Cabo Verde está pobre, doente e as coisas não estão fáceis. As pessoas já estão desacreditadas, principalmente os mais jovens que estão bastante revoltados com esta situação. Tudo está mais caro, com o aumento considerável de bens de primeira necessidade. A conta de luz e de água estão mais caras. Por isso, há que haver um equilíbrio do poder em Cabo Verde. Há que exigir mais. Há que exigir a realização das promessas eleitorais. Nós sentimos haver uma despreocupação por parte do Governo no sentido de responder às reivindicações. Neste sentido, nós precisamos de um Presidente da República que se impõe”, reiterou.

Júlio Rendall, que esteve esta segunda-feira, 04, com a comitiva de JMN em contatos porta-a-porta nas zonas de Morro Curral, Chã de Matias e Chã de Fraqueza, aproveitou ainda para dizer que a candidatura de José Maria Neves é “indispensável” e é a que tem condições para efectuar mudanças necessárias no país.

“De qualquer maneira nós somos bem recebidos pelas pessoas nas ruas e o nosso candidato tem uma boa imagem perante os salenses, uma vez que é um candidato que já fez muito para a ilha do Sal quando era Primeiro-ministro de Cabo Verde", frisou.

Questionado se têm respeitado as medidas de prevenção contra a pandemia de COVID-19, durante as ações de campanha, o representante da candidatura de Neves, reitera que garantir a proteção das pessoas é uma das principais preocupações da sua equipa.

“Nós estamos, ao longo da campanha eleitoral, a tomar todos os cuidados relativamente à proteção das pessoas contra a COVID-19. Não entramos em casa de ninguém, sempre usamos máscaras, inclusive temos máscaras para entregar às pessoas que não têm. Compriu-se todas as medidas de restrições", salientou.
Igualmente, César Almeida, diretor de campanha do candidato Hélio Sanches, na ilha mais turística de Cabo Verde afirma que têm respeitado à “risca” as restrições impostas por conta da pandemia de COVID-19, evitando o máximo de contacto direto com o público.

“Respeitamos todas as restrições tanto é que por enquanto temos feito somente contatos porta-a-porta, sempre com o uso de máscaras, mantendo o distanciamento social, e higiene das mãos”, revelou.

Já a caravana do candidato Hélio Sanches no Sal, esteve, esta segunda-feira, 04, na parte de manhã, em contatos porta-a-porta com o eleitorado da Cadeia e de Chã de Matias, e, à tarde, na zona de Hortelã.

César Almeida assegurou que durante as ações de campanha as pessoas têm apontado algumas preocupações, o que "mostra que é preciso haver mudanças para se manter o equilíbrio".

“Uma das preocupações pode ser a resistência. É preciso haver mudanças para que o país deixa de estar dividido em dois blocos opostos como se fossem os únicos. As pessoas devem ajudar para consciencializar a democracia e a expressão da nossa liberdade. É preciso exercer a cidadania porque vai se eleger um candidato e não um partido político. O Presidente da República é a voz da nação e a representação dos cabo-verdianos. Por isso, o país precisa de um Presidente que vai estar lá para unir todos os cabo-verdianos, pelo fator de estabilidade e pelo fator de identidade”, defendeu.

Quanto à candidatura de Carlos Veiga, no Sal, contínua incontactável. Assim, até ao fecho desta reportagem não foi possível entrar em contacto com os representantes de CV na ilha mais turística de Cabo Verde.

No tocante aos três restantes concorrentes, não se conhece ainda os seus representantes no Sal.

LC/Redação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project