ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Sal: Empresas de extracção de sal em pé-de-guerra com o alegado dono das Salinas de Santa Maria 05 Setembro 2018

Os donos das empresas de extracção de sal nas salinas de Santa Maria (Pedra de Lume) estão descontentes. Em causa estão as exigências do Grupo Óasis, enquanto alegado dono dos terrenos onde operam essas infra-estruturas industriais, para pararem com tal actividade económica. Como um salense alerta, autoridade do Estado precisa-se urgente para manter a ordem e defender os interesses nacionais – Salinas de Pedra de lume é uma das sete maravilhas e um importante património histórico e cultural do país.

Sal: Empresas de extracção de sal em pé-de-guerra com o alegado dono das Salinas de Santa Maria

Segundo a RCV, o ambiente é de forte tensão entre as partes desavindas. É que o grupo Oásis diz ser dono dos terrenos onde estão as salinas e exige às empresas referidas que parem de extrair o sal nos sítios referidos.

Revoltados com a situação, as empresas respondem negativamente, desafiando que não vão acatar esta ordem, já que têm autorização das autoridades competentes para exercerem a actividade da extracção do sal naquela área em disputa.

Tudo indica que esta polémica vai fazer correr muita tinta, já que o sal é extraído do subsolo, que é propriedade do Estado de Cabo Verde, segundo reza a Constituição da República.

Como um salense desabafou para o ASemanaonline, autoridade do Estado precisa-se urgente na ilha do Sal para manter a ordem e defender os interesses nacionais.

A polémica com Salinas de Pedra de Lume começou, recorde-se, com a sua alegada venda ao Grupo Oásis. Um facto que gerou fortes protestos a nível nacional, mas esta antiga unidade fabril com os terrenos circundantes permaneceram na posse do mesmo comprador. Isto apesar de alguma batalha jurídica.

Património cultural e uma das 7 maravilhas do país

Entretanto, além de ser uma das 7 maravilhas do país, Salinas de Pedre de Lume constitui, pelo seu valor histórico, um grande património nacional.

Como realça o Instituto Património Cultural (IPC) na sua página oficial, Salinas de Pedra de Lume, situada na parte NE da ilha do Sal, testemunhou uma forte interação do homem com o meio ambiente, durante os séculos XIX e XX, voltadas para a extração do sal, naturalmente acumulado na cratera de um vulcão extinto.

«Constitui uma amostra da criatividade humana, de adaptação ao ambiente hostil, e da superação dos obstáculos impostos pela natureza. Durante este período, sofreu transformações significativas que moldaram a bela paisagem que hoje nos apresenta», lê-se no mesmo sítio, para quem Salinas de Pedro de Lume foi, por isso, inscrito na lista indicativa de Cabo Verde na Unesco pelos critérios V e VII.

Segundo a mesma fonte, a nível nacional, Salinas de Pedra de Lume foi classificada como paisagem protegida, através do decreto-Lei 3/2003, de 24 de Fevereiro, tendo como objetivo preservar os seus elementos naturais e culturais relacionados com a existência de uma caldeira de exploração do sal e que se ajusta a uma paisagem de beleza singular e valor ecocultural. «Neste sentido, também foi classificado como Património Natural, Histórico e Cultural Nacional, através pela resolução nº 21/2012, de 24 de abril. Sendo assim, várias ações têm sido implementadas para a valorização do sítio, nomeadamente feiras culturais, palestras, sinalética, revitalização das infra-estruturas ligadas à extração do sal e conservação das marinas dado ao seu valor turístico e terapêutico».

O IPC faz questão de realçar que «a cratera do vulcão extinto de Pedra de Lume possui caraterísticas geológicas e geomorfológicas análogas a outros vulcões que constam, pelo seu diferencial, na Lista do Património Mundial da UNESCO: Parque Nacional Teide 2007; Ilhas Eólias 2000; Parque nacional dos vulcões de Hawaï 1987; Ilha vulcânica e túneis de lava de Jeju 2007».

Contudo, prossegue o IPC, destaca-se dos demais, pela existência de um jazido de sal localizado dentro da cratera por onde se desenvolveu uma indústria salineira. «Deste modo, pode-se compará-lo com o Chott El Jerid, na Tunísia, que consta na Lista Indicativa desde 2008, não quanto um vulcão em si, mas pela circunstância de ser um jazido de sal».

Para a mesma fonte, esta asserção baseia-se no facto de estarem ambos localizados fora do alcance das marés e numa cota positiva acima do nível da água do mar, mas que em determinado estado geológico estiveram em contato com o mar.

«Outrossim, verificam-se similitudes a nível das várias tonalidades que os dois jazidos patenteiam», conclui o IPC sobre a importância da antiga unidade fabril Salinas de Pedre de Lume, em Santa Maria do Sal – Cabo Verde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project