DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Sal/Entrevista: Mitu Monteiro assegura que a ilha tem potencialidade e que é preciso investir mais no desporto náutico 02 Maio 2021

Oteniel Jorge Monteiro, ficou conhecido a nível internacional pela sua grande paixão pelo mar e pela sua competência, tendo já conquistado em 2008 o título de campeão mundial de Kitesurf e diversos outros prémios. Mitú, como é apelidado, começou com o bodyboard, passou pelo surf e windsurf e hoje pratica o kitesurf. Em entrevista exclusiva ao Asemanaonline, o jovem, natural da ilha do Sal, entende que o Estado deveria promover mais investimentos no turismo desportivo, com uma atenção “especial” no desporto náutico, porque, segundo ele, a ilha tem boas condições climáticas. “É um tipo de turismo que traz muitos benefícios para a população”, assegurou. O atleta afirmou ainda que a falta de patrocinadores faz com que muitos jovens que queiram seguir este caminho se sintam desmotivados, uma vez que este é um tipo de desporto dispendioso, exortando, por outro lado, as pessoas a não desistirem dos seus objetivos. O seu maior sonho é construir uma equipa de atletas para representar Cabo Verde em competições de surf e Kitesurf. Hoje Mitú tem uma escola onde ensina crianças a aprender kitesurf. Acompanhe mais sobre a vida deste atleta na entrevista que se segue.

Entrevista conduzida por: Luciana da Cruz/Redação

Sal/Entrevista: Mitu Monteiro assegura que a ilha tem potencialidade e que é preciso investir mais no desporto náutico

Asemana - Qual foi a sua maior dificuldade quando começou a aprender kitesurf?

Mitú Monteiro - Foi basicamente controlar a vela porque praticamente eu já sabia controlar a prancha, uma vez que já praticava surf. Quando estamos a aprender acreditamos ser preciso fazer muita força, mas não é.

O que faz para manter o equilíbrio?

- Faço surf, windsurf, pesca submarina, ioga e ginásio, com o intuito de aprender a controlar o meu corpo. Dou aula, posso transmitir a minha paixão para as outras pessoas.

Como foi competir pela primeira vez ?

- Foi muito complicado porque na minha primeira competição estava muito nervoso, até porque eu tinha apenas nove anos. Lembro-me que nos dias antes da competição não conseguia dormir devido à ansiedade. Entretanto, isso já mudou, hoje em dia sinto-me mais tranquilo... já estou acostumado.

Em 2008 conquistou o título de campeão Mundial de Kitesurf. Como foi essa experiência?

- Quando eu conquistei o meu título eu fiquei muito contente. Em princípio, não tinha noção do que estava a acontecer porque para mim sempre foi a minha paixão estar no mar e a praticar desporto. A ficha só veio cair quando regressei a Cabo Verde e encontrei muitas pessoas no aeroporto à minha espera, gritando pelo meu nome.

A prática do Kitesurf em Cabo Verde

Como avalia o Kitesurf em Cabo Verde?

- Evoluiu muito, até porque agora as coisas são um pouco mais fáceis do que antigamente. É mais fácil encontrar materiais ou trazê-las de fora. Entretanto, ainda nós podemos encontrar muitas dificuldades uma vez que esse é um tipo de desporto muito caro e muitas pessoas não têm dinheiro para comprar o material para aprender.

Ainda em Cabo Verde nós não temos muitos meios, não temos patrocinadores, não temos materiais e isso torna tudo mais complicado. Por isso, é preciso ter garra porque se não podemos perder a motivação. Entretanto, é visível que hoje as coisas estão diferentes uma vez que antes não se fazia muitos investimentos no desporto náutico.

Turismo e desporto náutico

Acredita que o Governo deveria apostar mais no turismo desportivo?

- Acredito ser extremamente importante investir no desporto náutico, já que é uma das potencialidades de Cabo Verde. Depois é um tipo de turismo que traz muitos benefícios para a população, até porque os desportistas náuticos quando vêm para Cabo Verde querem conhecer a nossa cultura. Penso que isso poderia trazer muitas vantagens à economia local. Portanto, posso dizer que este é um meio para se investir. Já temos atletas no circuito mundial a viajar e isso poderia ser usado como um passaporte de Cabo Verde. As pessoas querem saber como é esse desporto em Cabo Verde, que condições exitem e como é o clima em Cabo Verde.

O que falta na ilha do Sal para incentivar os jovens a praticar esta modalidade?

- Há tudo na ilha, há um bom clima, boas condições e tem até uma escola para aprender kitesurf. Portanto, acredito que o que falta é o interesse para aprender. Na época de inverno, é a melhor altura para treinar kitesurf, porém as pessoas não gostam muito de ir para o mar por conta do frio e é a época que os turistas vêm a Cabo Verde para praticar esse tipo de desporto. Acho que nós temos tudo e não aproveitamos.

Hoje você tem uma escola de kitesurf. Como surgiu a paixão para ensinar esta modalidade?

- Não dá para viver somente como atleta porque um dia a minha carreia pode acabar e tenho que ter alguma sustentabilidade. Hoje em dia eu encaro as competições como uma forma de promover Cabo Verde e a minha escola. No início não foi fácil,porque passamos muito tempo para conseguir autorização para abrir a escola, mas deu certo. Além da escola, tem o bar/restaurante... é um serviço de qualidade.

Impacto da pandemia na rotina de treinos e nas competições

Que impacto a pandemia de covid-19 trouxe para a sua vida profissional?

- Para o meu negócio e para a minha vida enquanto atleta não foi bom, pois todas as competições foram canceladas. A minha rotina de treinos foi suspensa. Parei de ir ao ginásio, na sessão de ioga e os treinos na água faço muito menos, ou seja, eu faço menos 20% do que fazia antes.

Entretanto, vejo, por outro lado, algo positivo com esta pandemia, pois consegui dedicar mais tempo com a minha família.

Sonhos e projetos futuros

Qual é o seu maior Sonho?

- Tenho o sonho de construir uma equipa de atletas para representar Cabo Verde em competições de surf ou também no kitesurf. E pretendo apoiar o meu filho porque ele está no início da sua carreira.

E quanto aos seus projetos futuros...

- Acredito que este é o momento para pensar em outros projetos, como dedicar mais tempo para o meu filho e para o meu negócio.

Lembro que, além do título de campeão mundial em 2008, Mitú Monteiro conquistou diversos outros prémios, como: 2013 - 5º Waves World Championship KSP, 2010 – 2011 – 2012 - 2º Waves World Championship KSP e 2009 - 4º Waves World Championship KSP.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project