SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Sal: Trabalhadores do sector da segurança privada juntam-se à manifestação nacional para exigir o aumento salarial 24 Junho 2021

Pelo menos 30 trabalhadores do sector da segurança privada concentraram-se, esta quinta-feira, 24, na praça 19 de Setembro, nos Espaços, na ilha do Sal, para exigir um salário digno e a melhoria das condições no trabalho

Sal: Trabalhadores do sector da segurança privada juntam-se à manifestação nacional para exigir o aumento salarial

A manifestação, que aconteceu também na ilha de São Vicente, Boa Vista e Cidade da Praia, iniciou esta manhã, a partir das 9 horas.

Munidos de cartazes com várias palavras de ordem, esses trabalhadores exigem a implementação da grelha salarial e do Preço Indicativo de Referência ( PIR), a melhoria das condições de trabalho e um salário digno, bem como a convenção do acordo coletivo de trabalhadores (ACT), assinado em outubro de 2020 que atualiza a tabela salarial dos vigilantes que deveria entrar em vigor no dia 1 de Maio e ser acatada pelas empresas.

Em declarações ao Asemanaonline, o presidente da SICOTUR, Nilton Vaz, afiançou que espera, com esta manifestação sensibilizar as empresas do sector da segurança privada a respeitarem a lei.

"Em primeiro de tudo, pretendemos com esta manifestação sensibilizar as empresas para que possam resolver os nossos problemas e garantir os nossos direitos, que é a implementação da grelha salarial. Essa é uma luta justa. Desde 2017, a segurança privada está a lutar para que haja um aumento salarial", reiterou.

Já o coordenador da SIACSA, no Sal, António Tavares, afirma que apesar da fraca adesão de pessoas, acreditar que com esta manifestação as coisas ficarão resolvidas.

"Nós pretendemos com esta manifestação chamar a atenção do Governo e aproveitar para pedir apoio", frisou.

O sindicalista avança ainda que há a possibilidade de recorrer ao tribunal se com a manifestação o problema não for resolvido.

"Se com a manifestação o problema não for resolvido nós vamos diretamente para o tribunal. Nós vamos colocar as empresas no tribunal porque a lei já foi aprovada e as empresas têm que cumprir", enfatizou.

O responsável da SIACSA deixa ainda um apelo às empresas no sentido de cumprirem com a lei.

"Deixo um apelo às empresas no sentido de reconhecer que a lei já foi aprovada e para que possam respeitar a lei e os vigilantes que estão no trabalho", salientou.

Para os vigilantes no Sal, a luta por um salário melhor continua, uma vez que o custo elevado na ilha é "bastante elevado" e o salário ganho não permite ter boas condições.

O protesto foi organizado pelo Sindicato de Indústria Geral, Alimentação, Construção Civil, Agricultura, Florestas, Serviços Marítimo e Portuário (SIACSA); Sindicato da Infústria, Serviços, Comércio, Agricultura e Pesca (SISCAP) e o Sindicato da Indústria, Comércio e Turismo (SICOTUR).

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project