ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Santiago: Mercado da Assomada sente inflação dos produtos agrícolas 25 Outubro 2021

Na ilha de Santiago, o ano agrícola tem sido condicionado pela falta de chuva e os preços da fruta e legumes não param de inflacionar, conforme a Radio France International (RFI) foi perceber no no mercado da Assomada.

Santiago: Mercado da Assomada sente inflação dos produtos agrícolas

Monika tem 25 anos é estudante de estatística na cidade da Praia e trabalha no mercado na Assomada, às quartas e sábados, para ajudar os pais agricultores. "Aqui eu vendo quarta e sábado porque estudo na cidade da Praia e estou em período de estágio. Neste mercado, venho trabalhar para que a minha mãe não possa sentir-se cansada. A minha mãe já está meio grandinha e cuida dos meus irmãos", explicou.

Segundo constata a RFI, cada quilo de cebola custa 100 escudos. “Como neste período há menos tomate, o preço sobe para 230 escudos o quilo e é mais procurado", garante Monika, acrescentando que os produtos são de estufa e vêm de Boa Entrada, onde ela vive e se levanta às cinco da manhã para percorrer quatro quilómetros para estar no mercado das seis da manhã às seis da tarde.

"Há a época alta e a época baixa e até Dezembro os produtos são mais caros porque é a época alta, mas a partir de Janeiro o tomate fica mais barato, e chega a 30$00 o quilo", contou à RFI, a jovem comerciante.

O negócio, para Dilma, corre mais ou menos, também é comerciante e explica à RFI que trabalha das seis da manhã às 18:00 horas, e vende abóbora, mandioca, tomate e melancia.

“Apesar das perspetivas pouco animadoras, a expetativa é que o este ano agrícola possa correr melhor do que nos últimos anos num país onde é mais fácil não chover do que chover”, cita a RFI.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project