Legislativas 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Santiago Sul: Candidaturas garantem gratuitidade e remodelação do setor de ensino 11 Abril 2021

Na continuidade do esforço diário de proporcionar um espaço de debate e divulgação das várias plataformas eleitorais, o A Semanaonline traz nesta edição as principais ideias dos partidos. a concorrer para o círculo eleitoral de Santiago Sul, sobre os desafios da educação, enquanto setor nevrálgico para qualquer estratégia de desenvolvimento. Dos "ganhos" sublinhados pelo MpD nos ultimos cinco anos, às "falhas" apontadas pelos restantes partidos, todos concordam que ainda haverá muito por fazer.

Santiago Sul: Candidaturas garantem gratuitidade e remodelação do setor de ensino

A começar pelo partido que sustenta o ggoverno cessante, o MPD classifica como “árduo” o trabalho que tiveram que fazer em relação a este setor citando assim, na voz de Amadeu Cruz, que nos últimos meses da legislatura assumiu o cargo de Ministro da Educação, alguns ganhos como a isenção das propinas, a reabilitação de algumas escolas, o uso das novas tecnologias e a resolução das situações pendentes de mais de 6.500 professores, segundo ele, herdados do governo dos “tambarinas”.

O alargamento das bolsas de estudo e do ensino superior a novas regiões, a construção de novos liceus na Boa Vista e na Praia e a edificação de duas escolas básicas na ilha do Sal, o reforço das infraestruturas já existentes, a construção de novas escolas em São Domingos e Assomada e reforma do ensino secundário são os projetos dos “ventoinhas” para um novo mandato.

Opinião contrária tem o PAICV que faz um balanço negativo das políticas implementadas no sector da Educação, afirmando assim que o mandato foi marcado por erros sucessivos e retrocessos nos ganhos alcançados até 2016.

Caso merecer a confiança dos cabo- verdeanos, o PAICV, na voz de Carla Carvalho, representante do partido, propõe uma reforma no sector da educação, a construção da plataforma nacional de educação de aprendizagem para facilitar a aquisição de competências. “O objetivo, a partir dessa visão, é que tenhamos um sistema de educação renovado, capaz de formar inovadores empreendedores”, garante.

Para o PP, na voz do seu representante, Arlindo Vieira, a verba que o Estado disponibiliza para o sector da educação tem estado muito aquém, quando comparado com outras áreas o que, segundo ele, reflete nas infraestruturas escolares e na qualidade do próprio corpo docente. “Ainda encontramos escolas mal equipadas. Embora muitos professores tenham feito muito esforço para se qualificarem, ainda encontramos uma grande margem sem formação adequada para estar a lecionar”, sublinha.

Deste modo, o partido encabeçado por Amândio Barbosa Vicente, propõe a nível do pré-escolar a universalização e a gratuitidade para as crianças a partir dos quatro anos de idade, a regulamentação da carreira de formação dos educadores de infância, “pelo menos para terem a licenciatura” e a introdução de línguas estrangeiras, a par da língua materna.

A nível do ensino básico e secundário o membro do PP realça a necessidade de se diversificar a oferta formativa. “Até este momento, a lei de bases propunha a via técnica e a via geral. Nós vamos mais longe e propomos a via vocacional, para ser implementada a partir do 8º Ano de escolaridade, e que vai permitir que nenhum jovem fique sem a possibilidade de dar asas ao seu talento", reflete Vieira.

Para o ensino superior, os “populares” propõem a criação de uma agência de financiamento e a criação de institutos politécnicos.

O PTS, que tem como líder Carlos Lopes, conhecido por Romeu di Lurdis, defende, igualmente a gratuitidade do ensino, com a ressalva de que "quem pode pagar devia pagar”.

A nível do ensino básico Lopes propõe apostar na educação artística como disciplina, melhorar as condições das escolas e as condições de trabalho dos professores. "As nossas crianças não comem frutas nas escolas. As escolas primárias são cobertas de amianto, que é um telhado cancerígeno. As escolas periféricas são cobertas de telhado de metal, o que aumenta a temperatura nas salas de aula, não existem espaços verdes, não têm casas de banho que funcionam. Os professores não têm condições para trabalhar”, assevera.

Para o ensino secundário e superior a proposta é reduzir as propinas e facilitar o acesso a bolsas de estudo.

Já o PSD, liderado por João Além, critica o sistema de ensino de Cabo Verde e defende na voz do seu mandatário, José Rui Além, uma melhor preparação da classe docente, para que, de acordo com ele, o país possa ter, no futuro, profissionais melhor qualificados- “há uma necessidade urgente de formar e recuperar professores, porque há professores que ensinam e não sabem o que é que estão a ensinar e os alunos não aprendem nada e entramos num ciclo vicioso”, comenta.

Daí que os “sociais- democratas” aventam a reorganização das escolas e um maior investimento nas bibliotecas dentro das instituições de ensino- “Nós temos que equipar escolas com bibliotecas, com livros, para que os alunos possam ter vontade de aprender, ler e de conhecer. Hoje uma pessoa passa na rua e ouve um cidadão que até já tem o curso superior e pergunta: mas afinal tirou o curso para quê?”, questiona.

José Rui Além atenta ainda para a necessidade de se formar pessoas capazes de responder às necessidades do mercado.

Para a UCID, apesar de se ter melhorado o acesso à educação, há intervenções urgentes que devem ser feitas para a sua consolidação.

Por isso, Dora Pires, representante do partido, sugere a construção de um pacto educativo para o futuro, que deverá servir como instrumento estratégico para o desenvolvimento educativo do arquipélago e evitar a instabilidade do sistema- “O sistema tem que ser revisto. Temos que ter um sistema que possa produzir um ensino e aprendizagem de qualidade”, salienta.

As propostas dos “democratas- cristãos” são a descentralização do sistema de ensino, assunção do pré-escolar pelo Estado, revisão do sistema de ensino no secundário e formação contínua de professores. KS/Redação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project