CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Santo Antão: Dívidas do município com Águas do Porto Novo continuam a aumentar – montante pode estar à volta dos 160 mil contos 05 Setembro 2021

As dívidas do município porto-novense com a empresa Águas do Porto Novo, resultantes do fornecimento de água para consumo neste município, têm aumentado mensalmente, podendo chegar, nesta altura, aos 160 mil contos.

Santo Antão: Dívidas do município com Águas do Porto Novo continuam a aumentar – montante pode estar à volta dos 160 mil contos

Esta foi, de resto, uma das questões levadas, por ocasião do Dia do Município do Porto Novo (02 de Setembro) pelo Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) que, através do seu líder da bancada na Assembleia Municipal, Osvaldo Fortes, falou de uma dívida de 160 mil contos que, a seu ver, constitui “um grande problema” que urge resolver, revela a Inforpress.

O edil do Porto Novo não comentou as denúncias do PAICV, mas disse acreditar que a empresarialização do sector de água em Santo Antão, que passa pela criação da empresa intermunicipal de água, pode ajudar a resolver “os problemas estruturais” que se colocam a este mesmo sector, nesta ilha.

As dívidas do município para com a Águas do Porto Novo, empresa que produz, desde 2007, água dessalinizada para consumo na cidade do Porto Novo tem sido “uma séria ameaça” à sustentabilidade financeira deste sistema de produção de água.

Segundo a mesma fonte, a autarquia porto-novense é obrigada a acumular, mensalmente, dívidas que ultrapassam os dois mil contos para assegurar o abastecimento de água a dez mil pessoas na cidade do Porto Novo.

Mesmo com os ajustes de contas, feitos nos últimos anos, entre a autarquia, o Governo e a empresa de produção de água, as dívidas continuam a acumular-se, uma situação que tem preocupado a própria Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME), que já promoveu alguns encontros com o município, com a Agência Nacional de Água e Saneamento e demais parceiros na tentativa de encontrar uma solução para este problema.

Trata-se de uma situação que “coloca em risco” o sistema de produção de água dessalinizada neste concelho, segundo estas instituições, que, além das “avultadas” dívidas da edilidade com a Águas do Porto Novo, têm estado a alertar ainda para as perdas na rede, superiores a 50 por cento (%).

Acrescenta a Inforpress que a edilidade porto-novense tem vindo a defender a atribuição, por parte do Estado, de uma subvenção ao município, no âmbito da “solidariedade social” para com Porto Novo, que pode ser uma das vias para garantir a sustentabilidade do sistema de produção de água.

A cidade do Porto Novo dispõe, desde 2007, de um sistema de produção de água “boa qualidade” e em quantidade suficiente para as necessidades dos utentes, mas existe o “problema da sustentabilidade financeira”, que “urge resolver”, avisam as autoridades locais.

A unidade de dessalinização de água no Porto Novo, com capacidade de produção de mil metros cúbicos de água/dia, resultou de uma parceria pública/privada, envolvendo a Águas de Ponta Preta, o Governo e o município do Porto Novo, num investimento de 240 mil contos, conclui a fonte deste jornal.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project