POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

São Domingos: MpD diz que autarquia não tem legitimidade para suspender o Cadastro Social Único 27 Abril 2021

A coordenadora do MpD em São Domingos afirmou hoje que a autarquia está completamente “desorientada” e tem gerido o município “sem rumo e direcção”, tendo realçado que a mesma “não tem legitimidade” para suspender o Cadastro Social Único.

São Domingos: MpD diz que autarquia não tem legitimidade para suspender o Cadastro Social Único

A afirmação foi feita esta manhã em conferência de imprensa, pela coordenadora do Movimento para a Democracia (MpD-oposição) em São Domingos, Isa Rodrigues, em reacção à notícia publicada na página do Facebook da autarquia local, que decidiu suspender temporariamente todos os serviços ligados ao Cadastro Social Único, alegando mudanças em curso.

Segundo a Inforpress, a coordenadora começou por explicar que a tutela do Cadastro Social Único é exercida pelo departamento governamental, responsável pela Protecção Social ao nível da rede de segurança a quem cabe a coordenação interinstitucional garantir as condições para o seu desenvolvimento e implementação.

Para esta responsável, a equipa local do Cadastro Social Único é composta por quatro inquiridores da câmara municipal que têm o papel de fazer visitas domiciliares para se inteirar da situação socio-económica das famílias e identificar se os beneficiários pertencem ao nível 1, 2, 3 ou 4.

Isa Rodrigues disse ainda que não tem conhecimento de quaisquer irregularidades no processo, e sublinhou que caso houver alguma anomalia caberá ao Governo tomar medidas e não a autarquia local.

“Ou a CMSD está completamente desorientada e não faz a mínima ideia de qual é o seu papel neste processo, o que por si só demonstra que a actual equipa camarária tem gerido o nosso município sem rumo e sem direcção, ou trata-se de uma medida maldosa, com motivações políticas obscuras que em nada abonam os munícipes de São Domingos”, apontou.

Na ocasião, denunciou que durante a campanha eleitoral para as legislativas de 18 de Abril, o PAICV, o presidente e a sua equipa camarária estiveram no terreno a tentar “enganar” as pessoas de que o Cadastro Social Único é uma medida da câmara municipal e não do Governo.

A mesma fonte acusou ainda os responsáveis autárquicos de “perseguir” a coordenadora do CSU no município porque entenderam que ela não pactuou com a “campanha de desinformação” que montaram acerca do CSU.

O MpD em São Domingos exortou ainda a autarquia local a repor a legalidade e que reveja a medida de suspender o CSU, que, para o MpD, é um dos muitos sinais do “desnorteamento” do actual executivo camarário, conclui a Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project