SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

São Filipe: Obras de requalificação do centro histórico e asfaltagem da parte alta retomadas – Eunice Silva 14 Maio 2022

A execução das duas grandes obras financiadas pelo Governo no município de São Filipe já foi retomada, anunciou quinta-feira a ministra das Infra-estruturas, Eunice Silva.

São Filipe: Obras de requalificação do centro histórico e asfaltagem da parte alta retomadas – Eunice Silva

A titular da pasta das Infra-estruturas, que presidiu à inauguração da primeira fase da requalificação urbana da cidade de Cova Figueira, município de Santa Catarina do Fogo, assegurou que as obras de asfaltagem das vias da parte alta da cidade de São Filipe, incluindo o acesso ao porto de Vale dos Cavaleiro e da requalificação do centro histórico, já foram retomadas depois de algum tempo de paralisação.

“Essas obras já podiam ter sido concluídas, mas os contratempos ocorridos e a própria pandemia não permitiram”, disse a ministra das Infra-estruturas, lembrando que nunca as obras foram paralisadas totalmente, mas que por dificuldades financeiras diminuíram os ritmos da sua implementação.

Eunice Silva garantiu que o Governo já pagou toda a dívida que tinha com a empresa e que a mesma vai retomar agora as obras, sublinhando que a empresa deve estar a montar a logística para o reinício.

“Vamos acelerar para, ainda este ano, fechar as obras de São Filipe, quer a requalificação do núcleo histórico como a asfaltagem do troço que liga a rotunda junto da Polícia Nacional (PN) passando por Aguadinha até o porto de Vale dos Cavaleiros e das artérias de Cruz dos Passos a Congresso e largo de Enacol a Congresso passado pelo bairro de Cobom”, garantiu Eunice Silva.

Além das obras de São Filipe, Eunice Silva indicou que foram retomadas as obras de construção da estrada que liga Piorno/Campanas de Cima numa extensão de seis quilómetros.

Este troço que liga Cova Tina, passando por Bangaeira, Monte Velha, Piorno a Campanas de Cima, segundo a ministra das Infra-estruturas, tem cerca de 30 quilómetros e serve os três municípios da ilha e, segundo dados em termos de preparação e movimentação de terra, falta trabalhar cerca de dois quilómetros e o calcetamento de aproximadamente quatro quilómetros (3.6), além de mais de duas dezenas de passagens hidráulicas.

“Estamos a contar fechar o anel superior em Janeiro ou Fevereiro de 2023”, pontuou Eunice Silva, sublinhando que Cova Tina/Campanas de Cima é a estrada mais comprida em execução neste momento, mas é também uma estrada complicada e ninguém teve a coragem de iniciar a sua construção.

“Esta estrada vai transformar a ilha e muito, em termos turísticos e económicos por cobrir uma zona que é muito produtiva”, disse.

O troço entre Bangaeira (Chã das Caldeiras) passando por Piorno até Campanas de Cima representa um investimento de mais de 300 mil contos.

Eunice Silva enumerou um conjunto de obras implementadas pelo Governo a nível da ilha do Fogo, mas reconheceu que nem todos os projectos previstos chegaram a iniciar devido à pandemia.

“Dentro do PRRA e que era suposto arrancar, ficou pendente o projecto da requalificação da orla marítima de Queimada Guincho (Mosteiros)”, afirmou a titular da pasta das Infra-estruturas, observando que não foi apenas a de Queimada Guincho, mas também de outros municípios.

Eunice Silva explicou que não se conseguiu iniciar este projecto, porque quando ficou concluído e lançado o concurso ocorreu a pandemia, mas assegurou que o projecto da orla marítima de Queimada Guincho e de outros municípios que estão pendentes, continuam na agenda.

A requalificação da orla marítima de Queimada Guincho, que se estende desde a cidade de Igreja até as proximidades da pista do antigo aeródromo dos Mosteiros, representa um investimento de mais de 107 mil contos.

A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project