CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

São Vicente: Ministro do Mar anuncia que há barcos interessados em fazer bandeiramento em Cabo Verde 02 Mar�o 2022

O ministro do Mar disse hoje, no Mindelo, que há barcos que contactaram a Direcção Nacional das Pescas para o bandeiramento nacional, o que poderá ajudar a reverter o ciclo de assinaturas de derrogação de pescas com União Europeia.

São Vicente: Ministro do Mar anuncia que há barcos interessados em fazer bandeiramento em Cabo Verde

Abraão Vicente falava à imprensa, no Complexo de Pescas de Cova de Inglesa, em São Vicente, quando acompanhava uma visita da embaixadora da União Europeia em Cabo Verde, Carla Grijó, no âmbito da implementação da Zona Económica Especial Marítima de São Vicente (ZEEMSV).

Segundo o ministro do Mar, Cabo Verde, com as medidas no Orçamento do Estado de 2022, já consegue reverter algumas consequências negativas da pouca atractividade fiscal que tinha até pouco tempo e neste sentido alguns barcos já pediram o bandeiramento nacional.

“Estamos a fazer um trabalho de fundo para que, nos próximos tempos, o sector das pescas tenha pujança a nível nacional, não só em São Vicente, mas que também reforça o papel de São Vicente “, explicou o governante.

Conforme a mesma fonte, “a grande indústria exportadora de Cabo Verde é a pesca, com cerca de 90 por cento (%), as duas grandes indústrias estão em São Vicente, mas há dificuldades em fazer com que o peixe pescado nas grandes barcas cheguem com qualidade” à ilha.

“Muito mais que dispersar e criar vários focos é fazer com que a indústria pesqueira localizada em São Vicente tenha também acesso às bancas de pesca que estão mais longe através de pontos de transbordo em outras ilhas, nomeadamente Santo Antão e a ilha do Sal”, frisou.

Sobre o convite à embaixadora da UE em Cabo Verde para a visita, o ministro revelou que foi no sentido de “redesenhar as prioridades de Cabo Verde para o sector da economia azul”.

“Em vez de falarmos de conceitos, que parecem ser abstratos, vamos começar por aquilo que já temos, que é a pesca, a aquacultura e a potencialidade de transformação em Cabo Verde e potenciar a capacidade da nossa indústria pesqueira de criar trabalho”, clarificou o ministro, para quem o foco da visita também está na possibilidade de “desenharem novas linhas de cooperação no sentido de financiar uma indústria semi-industrial e industrial em Cabo Verde”.

“Fiz o convite à embaixador na lógica da implementação da ZEEMSV, para percebermos as indústrias que já existem, potencialidades de desenvolvimento de negócios para o futuro, mas também de reforçar o foco nas pescas”, declarou, lembrando que “o peixe é um recurso tangível com valor taxado e de validado no mercado internacional”.

Por sua vez, a embaixadora da U E em Cabo Verde declarou-se “impressionada” com o complexo de pescas e com a qualidade dos serviços que presta.

“Parece-me que há aqui ainda uma boa margem para o crescimento dos serviços e do número de clientes que usufruem deste serviço e também me parece importante porque há aqui uma lógica empresarial não só de prestar serviços ao sector, mas também de assegurar a sustentabilidade económica do complexo. E isso é um factor que nos parece mais importante”, arrematou.

De acordo com a agenda de visita da embaixadora da U E em Cabo Verde, esta quinta-feira, de manhã, Carla Grijó fará um encontro trabalho na Enapor, depois seguirá para os estaleiros navais na Cabnave, visitará a zona de Lazareto e à tarde manterá um encontro de trabalho com Zona Económica Especial Marítima de São Vicente e em seguida visitará a zona de Saragaça. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project