POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Legislativas 2021/São Vicente: PAICV acusa MpD de desrespeitar a decisão da CNE que condenou propaganda ilegal 24 Mar�o 2021

O mandatário do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) em São Vicente acusa, hoje, o MpD (poder) de recusar a cumprir a deliberação da Comissão Nacional de Eleições (CNE) que o mandou a retirar os materiais de propaganda gráfica que colocou no Mindelo e em vários pontos do país de forma ilegal. Graciano Nascimento denuncia tratar-se de um comportamento de arrogância, prepotência e falta de respeito pela legalidade.

Legislativas 2021/São Vicente: PAICV acusa MpD de desrespeitar a decisão da CNE que condenou propaganda  ilegal

Em conferência de imprensa realizada esta terça-feira, o mandatário da candidatura do PAICV pelo círculo eleitoral de São Vicente destaca várias ações ilegais que Movimento para a Democracia realizou antes do início oficial da campanha para as legislativas de 2021.

Graciano Nascimento ressalta que um dos principais problemas tem a ver com a colocação de cartazes do líder do MpD em mais do que uma ilha de Cabo verde, nomeadamente em São Vicente na sede de Rua de Lisboa.

O político ajunta ainda os vários projetos que a ilha de Santo Antão tem recebido nestes últimos tempos, nomeadamente o lançamento do estudo do aeroporto, da extensão do porto em Porto Novo e de Centros de Saúde.

Em relação às diferentes Comissões de Recenseamento Eleitoral (CRE) em Cabo Verde e na diáspora, Graciano faz questão de realçar que em São Vicente existem diversas denúncias de ilegalidades e irregularidades. A nível geral, cita nomeações ilegais dentro do período eleitoral, como foi o caso do Conselho da Administração da Bolsa de Valores que, conforme avança, foi denunciado pelo PAICV a nível da CNE.

“São situações graves que, por si só, merecem uma análise cuidada do eleitorado cabo-verdiano. Não sabemos o que se passa nas outras ilhas, mas em São Vicente pela Rua de Lisboa há cartazes que estão ainda colocados na sede de campanha do partido, o que demonstra uma clara e gritante falta de respeito do MPD pelas instituições e pela legalidade no país”, contesta.

Graciano Nascimento adverte que a Comissão Nacional de Eleições, que é o órgão que coordena e verifica a funcionalidade legal das eleições em Cabo Verde, delibera e o “MpD não cumpre”.

O político enfatiza que esta atitude do Movimento para a Democracia enquadra-se perfeitamente naquilo que tem sido o estilo do partido que sustenta o governo até ao fim desta legislatura. Alerta que tudo o que o MpD fez, até ao momento, resume-se uma posição de “descontrolo de convição clara” e que a governação é “profundamente negativa”.

O mandatário do maior partido da oposição democrática no Mindelo diz acreditar que todas essas ações do MpD representam uma “consciência pesada” e uma clara demonstração da fragilidade do mesmo partido no poder nos últimos 5 anos.

Graciano Nascimento diz, no entanto, que o PAICV está confiante nas instituições que têm como função repor a legalidade e entende que a Comissão Nacional das Eleições terá mecanismos para fazer cumprir essa deliberação.

Segundo a mesma fonte, o mais importante para a formação tambarina é que “o eleitorado esteja atento para analisar essa atitude do MpD, porque mesmo se alegassem o desconhecimento da lei para colocar os cartazes, mas a partir do momento que foi notificado pela CNE tinha a obrigação de pedir desculpa ao eleitorado e retirar o cartaz imediatamente”, conclui Graciano Nascimento.

AC/Redação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project