ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

São Vicente: Primeiro barco da regata Globe 40 recebido em pleno alto mar por ministro e organização 03 Julho 2022

O primeiro barco a chegar à Marina do Mindelo e vencedor da primeira etapa da regata mundial Globe 40 foi recebido na tarde de hoje pelo ministro do Mar e pela organização, em pleno alto mar.

São Vicente: Primeiro barco da regata Globe 40 recebido em pleno alto mar  por ministro e organização

O veleiro, denominado Milai 101, tripulado por dois marinheiros de nacionalidade japonesa os quais, aparentemente, gostaram da recepção a meio do canal São Vicente/Santo Antão, que ocorreu por volta das 14:30 e que foi acompanhada também pela Inforpress.

Além da equipa do ministro do Mar, Abraão Vicente, a chegada do navio foi também presenciada pelo presidente do conselho de administração da Enapor, pela organização da Globe 40, pela Polícia Marítima, a Guarda Costeira, comunicação social e outros elementos do ministério.

Abraão Vicente, que falou à imprensa à chegada à Marina do Mindelo, por volta das 15:00, assegurou ter sido uma “maneira simbólica” de dar as boas-vindas a um projecto que é também de Cabo Verde, que é co-produtor e co-financiador da prova.

“O objectivo é muito claro, lançar os desportos náuticos e a navegação de regata e transformar Mindelo num ponto principal do atlântico médio de passagem. Cabo Verde tem sido ao longo dos anos um ponto de referência geo-estratégica, mas, ficava (Globe 40) sempre pela Madeira, Canárias e Dakar”, sublinhou o governante, sem avançar o montante do financiamento cabo-verdiano.

O ministro garantiu ser fundamental que Cabo Verde e Mindelo voltem a ter a tradição de navegação à vela e disse esperar que o evento mundial possa “lançar o bichinho” para ter o Clube Náutico do Mindelo a funcionar e, quiçá, ter velejadores cabo-verdianos a participar nas futuras provas.

Daí, que, segundo a mesma fonte, muito mais do que receber quem vem de fora, o objectivo principal é contagiar a economia local e saber como esse tipo de desporto pode criar um “nicho diferenciado” de turismo para Cabo Verde.

A regata Globe 40, que pretende refazer a circum-navegação, vai estar no Mindelo de hoje até o dia 17, o que, no entender de Abraão Vicente, coloca Cabo Verde no mapa, ainda mais com a divulgação, que poderá ser feita pelos participantes nos seus países e nos seus círculos de relacionamento.

Para isso, indicou, a organização em São Vicente programou diversas actividades, entre as quais, encontros com organizações e instituições públicas, para além de participarem em eventos culturais, como o Kavala Fresk Feastival, previsto para o próximo final de semana.

O governante ressaltou ainda o facto de a regata ter “algum impacto” na economia, uma vez que os velejadores têm “algum poder económico” e “vão gastar” durante a sua estadia.

Conforme Abraão Vicente, Cabo Verde teve esta oportunidade porque entrou numa rede internacional, que agora pode colocar Mindelo como ponto atractivo, mas, assegurou, é importante continuar a investir, tanto para esta regata, mas também para o Ocean Race, que chega à São Vicente em Janeiro próximo.

Do lado da tripulação do Milai 101, o comandante Masat Suzuki, disse que é a primeira que ele e o seu companheiro de viagem, Koji Nakagawa, participam no Globe 40, mas, já estão muito bem impressionados, ainda mais pela velocidade que conseguiram atingir através do vento.

Masat Suzuki admitiu que tiveram algumas dificuldades pelo caminho, mas, considerou ter sido uma “boa escolha” terem optado por passar por Madeira (Portugal) e chegar antes dos outros seis barcos.

Quanto à Mindelo, o velejador disse ter ficado impressionado com a recepção e com a vista que parece “muito linda”. Acredita que sentir-se-á “muito bem” por ficar na cidade por 15 dias.

A largada da Globe 40 em solo africano foi dada no passado dia 26 de Junho, em Tânger, Marrocos e agora é a vez da ilha de São Vicente receber a primeira volta ao mundo com escalas para veleiros da Classe 40.

O Classe 40 é um barco de tamanho intermédio de regatas offshore e é considerado a porta de entrada para os velejadores que querem competir noutras regatas oceânicas de longo curso.

Participam na competição representantes da Holanda, Canadá, Estados Unidos (três barcos), Japão, França e Marrocos, totalizando 18 navegadores de oito países (um dos veleiros americanos tem três tripulantes).

Entretanto, a Mindelo só devem chegar seis barcos, porque, segundo informações do Ministério do Mar, uma das embarcações desistiu depois de avarias devido a um acidente.

Depois de São Vicente, a regata percorrerá ainda as Ilhas Maurícias – Auckland (Nova Zelândia), Taiti (Polinésia Francesa), Ushuaia (Argentina), Recife (Brasil), Granada (Espanha) e por fim Lorient (França).

O término da prova deverá ocorrer em Março de 2023.

A semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project