SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Época das chuvas/São Vicente: Líder associativo de Calhau-Madeiral apela para o desassoreamento dos diques, mas a Ministério da Agricultura avisa ser impossivel este ano 24 Julho 2021

No quadro da preparação do novo ano agrícola, o líder da Associação Agro-pecuária de Calhau e Madeiral (AAPCM), em São Vicente, diz que os agricultores continuam com os mesmos problemas do ano passado e que a cada dia piora. Felinto Brito alerta que o desassoreamento dos diques neste que é considerado o vale mais agrícola de São Vicente continua a ser um grande problema. Já o Ministério da Agricultura e Ambiente avisa que não perspetiva levar a cabo esta atividade por implicar muito estudo e recursos financeiros.

Por: Arménia Chantre /Redação

 Época das chuvas/São Vicente: Líder associativo de Calhau-Madeiral  apela para o desassoreamento dos diques, mas a Ministério da Agricultura  avisa ser impossivel  este ano

Estando-se já na época das chuvas, o presidente da organização da AAPCM, em entrevista ao Asemanaonline, alerta que os diques construídos em Ribeira de Calhau ainda apresentam péssimas condições para a retenção da água das chuvas, o que tem contribuído para uma “carência de recursos hídricos e consequentemente uma diminuição, a cada dia, da atividade agrícola” nesta área agrícola de São Vicente.

“Na semana passada, solicitei ao delegado do Ministério da Agricultura uma máquina, que está emprestada à Câmara Municipal de São Vicente ( CMSV) há um ano, para fazer o trabalho de desassoreamento, mas tudo ficou igual, ou seja, o problema ainda continua”, explica Filinto, que acrescenta que “o trabalho de desassoreamento tem que ser feito em todos os diques, não somente em um”.

O mesmo revela que o problema de água continua: a quantidade deste liquido precioso diminui a cada dia, o preço é cada vez mais alto e “não há uma boa vontade da parte da Câmara Municipal e do Ministério da Agricultura em resolverem os problemas”.

“A pior asneira que o Ministério da Agricultura fez foi a de transferir projetos do meio rural relacionados com agricultura para a CMSV, que não está interessado em resolver os problemas dos setores da agricultura e pecuária na ilha”, denuncia aquele responsável.

Este sublinha que as atividades que desenvolviam com o Ministério da Agricultura “já não existem”, principalmente quando se refere a “desassoreamento de diques, sistema de rega, reparação de bombas, reservatórios, entre outros”.

MAA e fala de meios para desassoreamento

Ouvido por este jornal, o Delegado do Ministério da Agricultura esclarece que a máquina esteve na posse dos agricultores durante uma semana e tiveram poucos dias para organizarem os seus terrenos e fazerem as pequenas bacias para a retensão de água, concluindo que o motivo “não era o desassoreamento de diques”.

Vitorino Silva fez questão de explicar que o desassoreamento não é tarefa fácil, por considerar ser uma limpeza profunda dos diques que exige muitos recursos financeiros, equipamentos e estudo.

“Esta limpeza é outro tipo de trabalho que na verdade é uma obra de grande envergadura e não é tão fácil como as pessoas pensam. Para desassoreamento de diques tem-se que mobilizar recursos financeiros e equipamentos para fazer este trabalho”, esclarece Vitorino Silva, que indica que este ano não será possível proceder ao desassoreamento dos 6 diques do Vale de Ribeira de Calhau.

Vitorino Silva, informa que a Câmara Municipal de São Vicente e o Ministério da Agricultura deram este apoio aos agricultores para o arranjo de terrenos para esta época de chuvas e lembra que é a autarquia que faz a gestão dos equipamentos destinados para o efeito.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project