INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Shireen Abu Akleh: 57 congressistas EUA pedem investigação do FBI e DoS 24 Maio 2022

Em carta dirigida ao ministro de Estado Antony Blinken e ao director do FBI Christopher Wray, os congressistas da ala democrata afirmam estar "profundamente preocupados" com as versões contraditórias apresentadas sobre a morte da jornalista Shireen Abu Akleh.

 Shireen Abu Akleh: 57 congressistas EUA pedem investigação do FBI e DoS

Os cinquenta e sete parlamentares dos Estados Unidos expressaram a sua condenação perante o assassinato da jornalista durante uma operação dos militares do Estado de Israel, bem como pela violência policial no enterro.

Na carta ao diretor do FBI e ao responsável máximo do Departamento de Estado, o grupo liderado por Andre Carson, Lou Correa e Bill Pascrell mostra estar no mesmo diapasão da comunidade internacional, Casa Branca, União Europeia e ONU que pedem uma investigação rigorosa ao ocorrido, incluindo a "atuação da polícia de Israel" nas exéquias da Shareen.


Membro do Knessett demite-se: "o nosso partido não condenou atuação policial"

A parlamentar Ghaida Rinawie Zoabi, do Meretz, que condenou a atuação policial acaba de apresentar a sua demissão, noticiou a imprensa israelita dois dias depois da tragédia.

O anúncio que enfraquece o primeiro-ministro Bennett surgiu um mês depois da saída da Idit Sliman, do Yamina coligado com o governo. Israel: Governo perde maioria com saída da líder da coligação para ala de Netanyahu,07.abr.022.

A representante do Meretz afirmou que o fazia porque não se revia nos valores dos demais parlamentares que em vez de condenarem a ação ficaram em silêncio.

"Eu esperava ver o nosso partido a condenar a atuação policial no funeral de Shireen Abu Akleh; mas não: ninguém enviou a carta de pedido de desculpas", lê-se na carta citada pela imprensa de Israel.

Mas entre esses cinco dias, destacam-se os sucessivos comunicados que esta árabe-israelita faz. Cada um desmente o anterior. "É possível que eu me demita do Knesset". No seguinte: "Decidi não me demitir do Knesset". Na segunda-feira anunciava: "Não sei como é que vou votar na quarta-feira, Deus ajudar-me-á".

"Não vou apoiar a dissolução do Knesset", anunciou na terça e horas depois volta a mudar "Talvez apoie o governo coligado, mas de fora. Isso agora depende de Benny Gantz".

"Atingi o ponto de não retorno, não posso apoiar a coligação". O Haaretz transcreve estes comunicados e acrescenta que há mais.

Fontes: Jerusalem Post/Haaretz/NY Times/ Washington Post/... Relacionado: Shireen Abu Akleh: Investigação independente acusa Israel, 17.mai.022; Shireen Abu Akleh: Funeral perturbado pela polícia que carregou sobre séquito e caixão quase caiu ao chão, 15.mai.022; Palestina: Milhares no enterro de Shireen Abu Akleh "assassinada pelo exército de Israel", 13.mai.022; Bispos da Terra Santa condenam Israel por ’desrespeito’ nas exéquias de Shireen, 17.mai.022; Guterres pede investigação independente a assassínio de jornalista da Al Jazeera, 11.mai.022.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project