INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Sri-Lanka: ISIS assumiu pior atentado contra cristãos desde 1970—Para Governo reivindicação é ’oportunista’ e investigação privilegia pista de grupo islâmico ’doméstico’ 24 Abril 2019

O ISIS-Estado Islâmico fez a reivindicação mais de 48 horas depois da série de bombardeamentos, seis dos quais em simultâneo, ensanguentarem o Domingo da Páscoa na ilha-país, com 321 pessoas mortas e 500 feridas segundo o balanço desta terça-feira, 23. As autoridades ceilandesas tratam com cautela a reivindicação, que se afigura ’oportunista’ como outras mais recentes da organização terrorista.

Sri-Lanka: ISIS assumiu pior atentado contra cristãos desde 1970—Para Governo reivindicação é ’oportunista’ e investigação privilegia pista de grupo islâmico ’doméstico’

As autoridades do Sri Lanka, na sequência da prisão de sete membros do ’grupo radical islâmico’ Thowfeek Jamaath, como anunciado pelo ministro da Defesa, Rajitha Senaratne, continuam a privilegiar a pista do terrorismo doméstico.

O ceticismo das autoridades parece não ter ficado abalado com a divulgação, esta terça-feira, de vídeos online — após o levantamento do bloqueio da internet — que mostram alegados bombistas suicidas a prestarem juramento ao ISIS.

Fontes religiosas do lado islâmico disseram à AP-Associated Press que não se surpreenderam, pois «a mensagem de ódio tem sido a mesma: apelos para a ’eliminação dos não-muçulmanos no Sri-Lanka!’», vindos do grupo radical Thowfeek Jamaath, liderado por um indivíduo, identificado ora como Mohammed Zahran ora como Zahran Hashmi, que há três anos tem vindo a colocar mensagens ’incendiárias’ na internet.

O presidente do Conselho de Muçulmanos do Sri-Lanka, N. M. Amin, indicou à AP que desde 2007 têm procurado em vão alertar as autoridades sobre o crescimento do radicalismo religioso no país. Sobre o alegado líder do Thowfeek Jamaath, diz o líder religioso Amin: "Mostrámos o seu retrato à Inteligência, mas nada fizeram".

O líder do Thowfeek Jamaath "tem realizado uma campanha de ódio contra todos os não-muçulmanos. Basicamente, o que ele tem dito é que todos os não-muçulmanos devem ser eliminados", enfatizou em depoimento à AP-Associated Press o vice-presidente do Conselho de Muçulmanos do Sri-Lanka.

A tensão religiosa latente foi desde a primeira hora apontada como ’causa provável’ do atentado, em oito locais, com seis explosões coordenadas durante a celebração da missa pascal. O ódio como ’o motivo’ do pior atentado contra cristãos desde 1970.

Arcebispo de Colombo: "Soubemos que estas mortes podiam ter sido evitadas"

O cardeal Malcolm Ranjith, arcebispo de Colombo, afirmou: “Levámos as mãos à cabeça quando soubemos que estas mortes podiam ter sido evitadas”.

Segundo alguns media dos Estados Unidos, como a Associated Press, referem, o governo srilankês sabia da iminência dum ataque desde o dia 4 deste mês.

O alerta, dado por agências de segurança internacionais, tinha levado o Ministério da Defesa a reunir-se com as autoridades policiais no dia 9. Mais pormenores ainda não tinham sido dados até o final da terça-feira (23H00, hora local, mais 6H30 que em Cabo Verde).

Atualização da informação sobre vítimas

Esta terça-feira, o último balanço indica, além das quinhentas pessoas hospitalizadas, que o saldo trágico é de 321 mortos, dos quais 39 são cidadãos da Índia, Turquia, Reino Unido, Holanda, Portugal, RP China, Estados Unidos, Japão ...

A maior parte das vítimas mortais estrangeiras estavam no hotel Cinnamom-Colombo, na capital, onde dois bombistas-suicidas realizaram o ataque. Enquanto um deles acionou o explosivo numa parte do hotel, o outro tinha-se colocado na fila do almoço de Páscoa.

“Ele foi para o início da fila e fez-se explodir”, contou um empregado do hotel à AFP-a agência noticiosa francesa.

A polícia informou, na segunda-feira, ter encontrado nos locais das explosões os restos mortais de sete dos bombistas-suicidas. Referiu ainda que se tinha explodido a carrinha (tipo ’Hiace’) colocada junto da igreja de Santo António em Colombo. Pouco antes, os polícias tinham descoberto que a mesma tinha três bombas e tentavam desativá-las quando se deu a explosão. Ninguém ficou ferido, segundo a delegação do Daily-Mirror no Sri-Lanka.
— -
Fontes: Reuters/ Le Monde/ outras referidas Foto (AFP).

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement