INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Suécia prendeu rapper, Trump em pré-campanha debalde intervém para o libertar 14 Agosto 2019

Em 30 de junho, a polícia de Estocolmo prendeu o rapper e modelo estadounidense ASAP/A$AP Rocky, de trinta anos, que se envolveu numa briga de rua na capital da Suécia. Durante um mês, foram surgindo apoios por parte de colegas do show-business, a pedirem a sua libertação. Destacam-se Kim Kardashian e Kanye West a pedirem ao presidente para intervir. Com o olho na Presidencial 2020, Trump não se fez de rogado.

Suécia prendeu rapper, Trump  em pré-campanha debalde intervém para o libertar

O artista condenado por agressão procurou provar a sua inocência, com imagens de vídeo que o mostram a ser perseguido por dois indivíduos nas ruas de Estocolmo. Mas as imagens têm suscitado leituras opostas. Para uns, ele é vítima. Dizem outros que ele é agressor.

O que é indubitável é que recebeu apoios de estrelas como Kanye West a quem ele visitou no sábado, 5, ao regressar a casa.

Também indubitável é que as iniciativas de Trump para o libertarem afinal não funcionaram. Primeiro, o presidente da primeira potência tuìtou que ia telefonar ao primeiro-ministro para "mandar o nosso rapaz para casa".

O primeiro-ministro sueco, Stefan Lofven, parece que não ouviu. O certo é que o tweet não provocou a imediata saída da prisão e o rapper continuava "longe de casa".

Por isso Trump voltou zangado ao Twitter no dia seguinte para exigir à Suécia que “trate os americanos com justiça!”

“Fazemos muito pela Suécia, mas não parece funcionar ao contrário. A Suécia deve concentrar-se no seu verdadeiro problema de crime! # FreeRocky”, expressou-se o presidente nesse tweet.

Longe dos holofotes, Trump enviou um agente especial para acompanhar o caso no tribunal de Estocolmo. Em vão, talvez porque o enviado é perito em ...veja-se bem, em casos de raptos de cidadãos americanos!

As tentativas presidenciais — compreensíveis à luz da Presidencial 2020 — foram pois debalde, enquanto a justiça independente seguia o seu curso. O que também é compreensível à luz da lei quando as instituições funcionam.

O rapper continuou preso, até à sua nova apresentação, no dia 2 do corrente, em tribunal.

Foi libertado — sem a fiança que Trump prometera pagar — e vai ter de voltar para a próxima audiência.

Será que "a comunidade afroamericana" invocada no argumentário tuìtesco do presidente inefável vai cair nesse trump-rap mal improvisado?

Fontes: AP/Sweden News.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project