NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

TCV na berlinda: PTS apresenta queixa contra censura e pede demissão do director 12 Junho 2018

O Partido de Trabalho e da Solidariedade -PTS, com sede em S.Vicente, acaba de dar entrada a uma queixa junto da Autoridade Reguladora da Comunicação Social (ARC), cuja copia foi também remetida ao Ministro Público, denunciado censura por parte da Televisão de Cabo Verde (TCV) às actividades do partido. Em nota assinado pelo seu presidente Gilson João dos Santos Alves, o PTS pede a demissão do actual director António Teixeira, ao mesmo tempo que ameaçar estar no seu direito de usar todos os meios necessários legais para destituir Teixeira do cargo.

TCV  na berlinda: PTS apresenta queixa contra censura e pede demissão do director

O documente emitido à ARC e que este jornal teve acesso precisa as várias actividades que, alegadamente, a TCV censurou - não cobriu nem divulgou nas suas várias edições informativas.

« Exigimos a demissão imediata do Sr. António Teixeira, por considerar, dado o antecedente de ter sido condenado por censura (por ARC no processo movido pelo jornalista Rui Santos), está inapto moralmente, politicamente e tecnicamente para exercer o cargo», lê-se no documento.

O líder do PTS acrescenta que António Teixeira ocupa um cargo de confiança política, visto que foi nomeado pelo ministro da Cultura, Abraão Vicente, e, por isso, tal condenação da ARC deve ter consequências políticas: a sua imediata exoneração do cargo. «Se o indivíduo está preso a uma lealdade política, e o individuo exerce poder sobre os subalternos, só podemos concluir que há controle político da Televisão Pública; só podemos concluir que a TCV é dirigida pelo Sr. Abraão Vicente, excepto se a condenação por censura resultasse na demissão do perpetrador, o que ainda não aconteceu», realçou.

Conforme a mesma fonte, o PTS, como formação política legítima, munida de todos os seus direitos constitucionais, considera que há perigo de reiteração da censura política das suas atividades por António Teixeira e pelos jornalistas que, eventualmente, lhe sejam cúmplices, estando, assim, o partido impedido de livremente executar as suas atividades.

«Caso o director António Teixeira continue no cargo, o PTS vê-se no direito de usar todos os meios que entender necessários para o remover ou o inabilitar ao cargo, visto que é um ator político hostil aos seus legítimos objetivos políticos», desafia o líder do Partido de Trabalho e da Solidariedade, fundada pelo cientista politico Onésimo Silveira. Foto: Tiver

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project