ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Índice de Preços no Consumidor: Taxa de variação homóloga em Cabo Verde diminui para 1,1% em Maio de 2018 16 Junho 2018

Em Maio de 2018, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) no País, registou uma variação homóloga de 1,1% uma taxa inferior em 0,1 pontos percentuais (p.p), à do mês Abril. O indicador de inflação subjacente (índice total excluindo energia e produtos alimentares não transformados) registou uma variação homóloga de 0,1%, valor menor em 0,1 p.p. ao registado no mês anterior. A variação mensal do IPC foi 0,1% (-0,1% no mês de Abril e 0,2% em Maio de 2017), valor superior ao contabilizado no mês anterior em 0,2 p.p. A variação média dos últimos doze meses fixou-se em 1,1%, taxa idêntica à registada no mês anterior.

Índice de Preços no Consumidor: Taxa de variação homóloga  em Cabo Verde diminui para 1,1% em Maio de 2018

Variação Homóloga (1,1%)

De acordo com os dados, recentemente divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas de Cabo Verde (INE-CV), a taxa de variação homóloga do IPC situou-se de 1,1% em Maio de 2018, taxa inferior à registada no mês anterior, em 0,1 p.p. As variações positivas mais significativas ocorreram nas classes dos Transportes (+3,4%), do Ensino (+2,5%), dos Bens e serviços diversos (+2,4%), das Bebidas alcoólicas e tabaco (+2,0%), das Rendas de habitação, água, electricidade, gás e outros combustíveis (+2,0%), da Saúde (+1,9%) e do Lazer, Recreação e Cultura (+1,6%). Por outro lado, a variação negativa foi registada na classe dos Vestuários e calçados (-3,2%).

Variação Mensal (0,1%)

Conforme o Relatório do INE-CV, em Maio passado, o IPC registou uma variação mensal de 0,1% (-0,1% no mês anterior e 0,2% em Maio de 2017). As classes com maior variação positiva foram as dos Transportes (+3,7%), da Saúde (+0,7%), das Rendas de habitação, água, electricidade, gás e outros combustíveis (+0,1%), dos Acessórios, equipamento doméstico e manutenção corrente da habitação (+0,1%) e dos Bens e serviços diversos (+0,1%).

Por outro lado, as variações mensais negativas foram observadas nas classes das Bebidas alcoólicas e tabaco (-0,2%), dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (-0,4%), do Lazer, recreação e cultura (-0,6%), dos Hotéis, restaurantes, cafés e similares (-0,6%) e dos Vestuário e calçado (-1,6%).

Índices Regionais

A nível regional, e com base nos estudos realizados pelo INE-CV, foram registados uma variação mensal positiva nas ilhas de Santiago e São Vicente de 0,2% e 0,1%, respectivamente e, negativa em Santo Antão (-0,4%). “Em Santiago, as contribuições positivas foram registadas nas classes dos Transportes, da Saúde e dos Acessórios, equipamento doméstico e manutenção corrente da habitação”.

Por outro lado, as variações negativas estiveram relacionadas com as classes dos Bens e serviços diversos, das Bebidas alcoólicas e tabaco, dos Hotéis, restaurantes, cafés e similares, do Lazer, recreação e cultura, dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas e dos Vestuário e calçado.

Já em São Vicente, as contribuições das classes dos Transportes, dos Vestuário e calçado, das Rendas de habitação, água, electricidade, gás e outros combustíveis, dos Bens e serviços diversos e dos Acessórios, equipamento doméstico e manutenção corrente da habitação, foram “determinantes” para a variação mensal positiva do índice total dessa região. Enquanto que a contribuição negativa foi registada na classe dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas.

Em Santo Antão, as contribuições negativas foram registadas nas classes do Lazer, recreação e cultura, dos Acessórios, equipamento doméstico e manutenção corrente da habitação e dos Produtos alimentares e bebidas não alcoólicas. Por outro lado, as variações positivas foram registadas nas classes dos Transportes, das Rendas de habitação, água, electricidade, gás e outros combustíveis, dos Bens e serviços diversos, dos Hotéis, restaurantes, cafés e similares e dos Vestuário e calçado.

Relativamente à variação homóloga, somente o índice de Santiago foi superior à média nacional em 0,1 p.p., enquanto que em São Vicente registou-se valor idêntico à média nacional e em Santo Antão registou-se valor inferior à média nacional 0,5 p.p.

“Se analisar a Tabela dos Agregados Especiais, pode-se constatar que o indicador de inflação subjacente (IPC Total excluindo Energia e Produtos alimentares não transformados) apresentou uma taxa de variação homóloga de 0,1%, valor inferior ao registado em Abril em 0,1 p.p., sendo que o diferencial existente entre a taxa de variação homóloga deste indicador e a do IPC Total atinge 1,0 p.p.

Celso Lobo

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project