AMBIENTE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Tempo: Onda tropical provoca chuvas acompanhadas de trovoadas em Cabo Verde 18 Agosto 2021

Cabo Verde está sob influência de uma onda tropical que está a gerar "forte instabilidade", com ocorrência de chuvas, podendo ser acompanhada de trovoadas, informou hoje o Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG). As chuvas amigas vêm bafejando, desde manhã desta quarta - feira, sobretudo as ilhas a sul do arquipélago, com destaque para Santiago e Fogo.

Tempo: Onda tropical provoca chuvas acompanhadas de trovoadas em Cabo Verde

Numa nota de informação meteorológica citada pela Lusa, o instituto cabo-verdiano salientou que, de acordo com a época do ano, a formação de ondas tropicais é frequente no arquipélago.

Neste momento, prosseguiu, Cabo Verde está sob a influência de uma onda tropical, que está a gerar "forte instabilidade", com ocorrência de chuvas, podendo ser acompanhada de trovoadas.

"O sistema, durante a aproximação, originou fenómenos convectivos, repentina intensificação do vento com rajadas em torno dos 60 km/h na parte Oriental (Sal e Boa Vista), com previsão de afetar outras ilhas com intensificação temporária do vento ao longo desta quarta-feira", prosseguiu o INMG, com sede na ilha do Sal.

A mesma fonte recordou que foi previsto, desde 13 de agosto, a aproximação do sistema e ocorrência de precipitação em todo o território cabo-verdiano, mas devido a forte instabilidade atmosférica, movimentos verticais ascendentes e elevado conteúdo em humidade, "houve uma repentina intensificação de vento com rajadas".

"A que atribuímos o nome técnico de borrasca, ou seja, tempestade violenta e repentina, geralmente acompanhada de vento e chuva de curta duração", explicou o instituto, que vai continuar a acompanhar o estado do tempo no país.

Chuvas em Santiago e Fogo e previsão do ano agrícola

A chuva caía hoje ao início da tarde na cidade da Praia, depois de também ter chovido durante a madrugada na capital do país, e também em outros pontos da ilha de Santiago. Na. ilha do Fogo tem-se registadas também precipitações com alguma intensidade, principalmente no início do período da tarde. Uma situação tem inviabilizado, por algumas horas, o movimento de pessoas e transportes, incluindo as ligações aéreas entre São Filipe e Praia.

De salientar que, em 12 de junho, o Governo cabo-verdiano previu mais um ano de pouca chuva no arquipélago e anunciou um conjunto de medidas para proteger a campanha agrícola, reforçar a resiliência das populações e adaptar o setor aos efeitos das mudanças climáticas.

Na altura, o secretário de Estado da Economia Agrária, Miguel da Moura, disse que para Cabo Verde as previsões apontam que as chuvas vão ser "deficitárias a próximas da média" (264 milímetros) no trimestre de julho a setembro, mas são mais animadoras entre agosto e outubro, com uma tendência considerada "dentro da média", isto é, 294 milímetros.

Segundo o porta-voz do Governo citado pela Lusa, as informações indiciam a probabilidade de ocorrência de dois cenários para o ano agrícola 2021-2022, como sejam chuvas deficitárias e próximas da média anual e um ano com chuvas dentro da média anual.

Em fevereiro, o ministro da Agricultura e Ambiente cabo-verdiano, Gilberto Silva, disse que em 2020 o país ficou "longe" de um ótimo ano agrícola em termos de produção, mas garantiu que ainda assim foi melhor do que os três anos de seca anteriores.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project