ESPECIAIS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Tendas El Shaddai: 26 anos na recuperação de viciados em drogas e álcool 27 Mar�o 2022

Fundada a 14 de Junho de 1996, em Santa Cruz, pelo missionário angolano Honório Fragata e um grupo de evangelistas jocumeiros cabo-verdianos e brasileiros, a ONG as “Tendas El Shaddai” já acolheu mais de 3000 toxicodependentes e alcoólicos em busca de recuperação e reinserção no seu centro em fucionamento no mesmo concelho de Santiago.

Tendas El Shaddai: 26 anos na recuperação de viciados em drogas e álcool

Edson Ribeiro, responsável substituto, informou que as Tendas El Shaddai já receberam pessoas dos 12 aos 65 anos, todos do sexo masculino e que ali concentram-se em busca de recuperação dos vícios relacionados com a droga e o alcoolismo.

No seu entender, “Pedra”, crack e cocaína são espécies de drogas mais usadas pelas camadas jovens não só dentro do Concelho como também nas outras Freguesias e ilhas.

Para além de trabalhar na recuperação de dependentes de diferentes pontos do país, à base do tratamento espiritual, as Tendas têm vindo a desempenhar um papel “ muito importante” no restabelecimento dos toxicodependentes de todas as ilhas em busca de uma vida saudável e melhor, conforme sublinhou aquele responsável.

“Neste momento não temos crianças aqui no centro, mas já tivemos alguns casos de crianças com idade compreendida entre os 10 e 12 anos que já experimentaram drogas, mas o Instituto Cabo-Verdiano da Criança e do Adolescente (ICCA) vem sempre buscá-las”, avançou.

O entrevistado deste jornal reconhece que nem todos os tratamentos merecem aplausos, pois, conforme adianta, existem sempre casos de fracassos e recaídas de pessoas que passaram por esse espaço que acolhe atualmente 25 doentes.

O mesmo sublinhou que, na sua estrutura, esse espaço tem a capacidade de receber o máximo de 30 toxicodependentes ou alcoólicos. Mas revelou que - por falta de pessoas para trabalhar e dar apoio aos internos, uma vez que ali o trabalho é voluntário-, houve momento em que o número dos internos desceu.

Aquele responsável adiantou que pelas Tendas já passaram multidões, de proveniências sociais diversas como sociólogos, psicólogos, pedreiros, eletricistas, professores, engenheiros, estudantes, pastores, missionários, trabalhadores informais, carpinteiros, artistas, entre outras categorias socio-profissionais, em busca da recuperação.

Dificuldades e nobre missão das Tendas

Recordou ainda que não foi fácil a implantação das Tendas nos primeiros anos, por considerar que houve alguma resistência por parte da vizinhança. Sublinhou que a maioria dos internos é proveniente da capital, ainda que a instituição tenha estado a receber solicitações de todos os pontos do país e não só.

Por outro lado, Edson Ribeiro avançou que as Tendas têm enfrentado alguns problemas que dificultam o seu funcionamento normal. Exemplificou que, desde mês de Novembro do ano passado, o espaço tem água cortada, devido a uma dívida de 550 mil escudos com a empresa Águas de Santiago – ADS.

Apesar de ter estado a procurar apoios junto de algumas instituições, informou que até este momento não tem tido sucesso. Apontou ainda que as Tendas estão a comprar água para satisfazer as suas necessidades do dia-a-dia.

Ribeiro disse que apesar das dificuldades do dia-a-dia, a instituição atualmente constituída por seis tendas, na sua grande maioria carregadas de remendos, dado ao seu avançado estado de deterioração, sente-se realizado por este “nobre trabalho na recuperação dos toxicodependentes e alcoólicos”.

As Tendas El-Shaddai recebem anualmente da Comissão de Coordenação de Combate à Droga cerca de 230 mil escudos. Segundo Edson Ribeiro, esse montante é pouco para as despesas das tendas.

Aquele responsável disse que desde 2012 as Tendas El-Shaddai têm recebido o apoio de um psicólogo e da Delegacia de Saúde de Santa Cruz, com os quais realiza sessões de terapia de grupo com os internados.

“A maioria das pessoas que entra nas Tendas para a recuperação está física e psicologicamente abatida. Elas são também portadoras de outras doenças paralelas como o VIH-Sida, problemas pulmonares, entre outros”, apontou.

Esta ONG foi fundada a 14 de Junho de 1996, em Santa Cruz, pelo missionário angolano Honório Fragata. O centro já acolheu mais de 3.000 toxicodependentes e alcoólicos em busca de recuperação, reinserção social e uma vida saudável.

Na perspectiva de Edson Ribeiro, as Tendas El-Shaddai são uma comunidade espiritual numa jornada rumo a Deus, onde há unidade sobrenatural, movida e dirigida pelo Espírito Santo. Acrescenta que é um lugar para pessoas que perderam família, trabalho, casa, moral, controlo de si mesmas e que caíram no abismo das drogas, do álcool e do cigarro, procurando as Tendas em busca da recuperação e libertação.

Aleida Tavares/Redação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project