DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Tokyo’21: Sandrine dá 1ª vitória em feminino ao Judo olímpico cabo-verdiano 27 Julho 2021

A primeira frase passou para parágrafos abaixo, vencida pela vitória de Sandrine Billiet esta terça-feira em Tóquio. A mais recente "criola/kriola", natural belga recém-chegada ao Judo nacional, dá a Cabo Verde a primeira vitória olímpica de sempre no Judo-arte marcial suave.

Tokyo’21: Sandrine dá 1ª vitória em feminino ao Judo olímpico cabo-verdiano

A atleta venceu por Ippon-Vitória Perfeita a adversária do Uzbequistão. Com isso, Sandrine, de 31 anos, passou à ronda seguinte nos Jogos Olímpicos.

A primeira vitória que não é ofuscada pelo segundo combate. Se bem que acabou por perder para a francesa Clarisse Agbegnenou, a sua oponente de 28 anos, é nada mais nada menos que a atual campeã mundial do Judo e candidata à medalha de ouro nestes Jogos.

Sandrine Belliet, ê — um nome para fixar

A judoca/judoka Sandrine afinal nada tem de principiante no universo mundial da arte marcial suave.

É medalha de bronze no torneio ’European Open’ no Luxemburgo em 2019.

Conta onze vitórias nos campeonatos belgas. Onze vezes campeã nacional da Bélgica.

Foi em 2014 que em Sarajevo se destacou: obteve o segundo lugar no ’European Open’.

Judo criolo. Sandrine Belliet vitoriosa em Tóquio por Cabo Verde. Oblitera-se a anterior primeira frase, do "silêncio atual sobre o Judo em Cabo Verde provoca a evocação do cabo-verdiano da diáspora Nuno Delgado (2ª foto) que arrebatou a 1ª medalha olímpica para Portugal em Sydney2000.

No pós-Sydney2000, o Nuno Delgado em Cabo Verde — que muito acarinhou este filho crioulo da diáspora. O pódio olímpico teria repercussão: este caboverdiano-descendente teve Mandela a expressar-se "orgulhoso" por ele. O ex-presidente sul-africano e primeira-dama Graça Machel felicitaram-no em 29 de maio de 2011 pela "Maior aula de Judo do mundo".

Skatistas do Japão a "mais jovem medalha de ouro" e do Brasil de prata

Entretanto, o novel skateboarding estreou-se este domingo, 24, em Tóquio com o brilho da lusófona Rayssa Leal apenas superado pelo da japonesa Momiji Nishiya, ambas de 13 anos.

O skateboarding, entre os desportos radicais — com o sport climbing e o surfing —, é uma das três modalidades o que entraram pela primeira vez na história das Olimpíadas.

A crescente popularidade destas modalidades — com o surfing a representar os desportos náuticos radicais — determinou a sua introdução na competição máxima do desporto mundial. Isso constituiu uma boa notícia para a Austrália que é uma potência nestas três modalidades.

Em janeiro, havia a quase certeza de que o país anglófono do hemisfério sul ia ter muito para mostrar no país dos 126 milhões (Tokyo’20 este ano com desportos radicais para atrair jovens, 06.jan.021). Mas sete meses depois, nada disso ainda se concretizou em Tóquio, da XXXIIª Olimpíada.

Covid no skate. A estreia não escapou à pandemia em curso. A skateboarder holandesa Candy Jacobs testou positivo para a Covid-19, na quinta-feira, 22 e foi uma das duas primeiras atletas a deixarem os Jogos Olímpicos devido à infeção pelo novo coronavírus. (Tokyo’21 tem 79 casos de Covid: Atletas fora da competição "de coração partido", 22.jul.021). "A minha aventura olímpica acabou aqui. Sinto-me bem e fiz todo o possível para evitar isto. Tomei todos os cuidados (...) vou precisar de algum tempo para recuperar disto. Agora, rumo a Paris 2024", tuìtou a skater.

Os marcos do Judo em Cabo Verde

O Judo olímpico em Cabo Verde em primeira evocação é, pois, o cabo-verdiano da diáspora Nuno Delgado (3ª foto) que arrebatou a 1ª medalha olímpica para Portugal em Sydney2000.

O evento repercutir-se-ia no reconhecimento deste caboverdiano-descendente por Mandela que o felicitou em 29 de maio de 2011 pela "Maior aula de Judo do mundo".

Outros são promessas ainda por realizar. Mas a esperança é o verde-contida-promessa de Cabo Verde. O caminho vai-se fazendo, por entre obstáculos. Algumas datas, a seguir.

Em maio de 2019, era a prometida Federação. João Paulo Spencer: Judo vai ter Federação ainda este ano para poder ter apoio do Governo, (online, 13 de maio de 2019). Um marco por cumprir.

Em abril de 2018, Evenilde Mendes conquista medalha de ouro no Campeonato Internacional de Judo Júnior e Cadete (10 de abril de 2018).

Em dezembro transato, Jorge Fonseca e Patrícia Sampaio nomeados aos prémios do Judo mundial(20 de dezembro de 2020).

(A continuar)

Fontes: AFP/COI/Times of Japan. Fotos (IOC): Sandrine Belliet, ê — francófono, a terminar em ê, um nome para fixar —, bate a concorrente uzbeque. Nuno Delgado, no pódio por Portugal é orgulho ’criolo’ de Cabo Verde. Modalidade estreante, com as melhores: as skaters/skatistas japonesa e brasileira.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project