CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Administrador José Rodrigues: Primeiro módulo de dessalinização de água na ilha Brava deve ser instalado ainda este ano na Furna 14 Julho 2018

O primeiro módulo de dessalinização de água na ilha Brava para abastecer a comunidade piscatória de Furna deve ser instalado ainda no decurso deste ano, informou hoje o administrador/delegado da Águabrava.

Administrador José Rodrigues: Primeiro módulo de dessalinização de água na ilha Brava deve ser instalado ainda este ano na Furna

Segundo José Rodrigues citado pela Inforpress, o dessalinizador na Furna terá a capacidade para produzir 60 metros cúbicos de água, sendo 20 com recurso a energia solar e 40 com energia convencional e que se destina apenas a esta comunidade.

Um outro sistema será instalado na localidade de Esparadinha, constituído por dois módulos de 250 metros cúbicos/dia cada, para abastecer o resto da ilha.

Com relação ao dessalinizador de Furna, José Rodrigues indicou que já tem financiamento assegurado e que o contentor deve chegar à ilha dentro de um mês para depois começar a sua instalação, assim como a de um pequeno parque fotovoltaico e todo o sistema de rede até o reservatório, dai concluir que a previsão é para ter água disponível antes do final do ano.

Conforme a mesma fonte, todo o sistema, incluindo os trabalhos de instalação, deve representar um investimento na ordem dos 150 mil euros (16,5 mil contos).

Quanto ao sistema de dessalinização a ser instalado na zona de Esparadinha, José Rodrigues aponta para um investimento de 250 mil euros (27,5 mil contos), mas que, de acordo com este responsável, ainda o pacote financeiro não está fechado.

Segundo explicou, além da disponibilidade da empresa Águabrava e da Cooperação Luxemburguesa, aguarda-se pela disponibilidade da Câmara Municipal da Brava e do Governo, através do Fundo de Águas e Saneamento (FASA).

Com a instalação dos dois sistemas, na Furna e Esparadinha, José Rodrigues adiantou que os cerca de 300 metros cúbicos de água da nascente de Encontro serão utilizados, em exclusivo, para a rega, uma vez que a água dessalinizada não será empregue na agricultura devido ao seu elevado custo.

Segundo o administrador/delegado da Águabrava só o custo da dessalinização da água é de 140 escudos por metro cúbico, ao que se acresce aos custos de bombagem, distribuição e gestão, elevando assim para cerca de 400 escudos por cada metro cúbico.

A dessalinização de água é a única solução encontrada para ultrapassar o problema de carência deste recurso hídrico, que afecta a ilha nos últimos tempos, refere a Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project