REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Trifratria israelita ruma à Ucrânia para "fazer o que Bennett não faz" — E à Palestina? 20 Mar�o 2022

Três irmãos a "fazer o que o governo de Bennett não faz" embarcaram esta sexta-feira em Telavive rumo a Carcóvia/Karkow, com a missão de trazer para Israel refugiados ucranianos. Por trás têm o apoio de amigos que deram dinheiro para esta causa que o governo prometera apoiar mas que nada fez sobretudo após a visita a Putin num santificado shabbat/sábado, no dia 5 deste mês.

Trifratria israelita ruma à Ucrânia para

No aeroporto de Telavive, um médico — que se diz feliz por ter trocado o sistema de saúde de Nova Iorque pelo "eficientíssimo sistema israelita" — acompanha os irmãos Kischinovsky: Daniel, de 41 anos, Yonatan, 40, e Miriam, 31.

Residentes respetivamente nos municípios de Givat Ada (60 km a sudeste de Telavive), Shezaf e Be’er Sheva/Beersheba (115 km a sudeste de Telavive) , no top-5 dos mais ricos, os três irmãos entrevistados pelo Haaretz identificam-se informalmente, pela voz do mais velho: "Somos os Kisches".

Miriam apresenta-se e aos irmãos, o que leva Yonatan a "explicar" que ’cada um tem o seu nome’. Segue-se o comentário jocoso de Daniel: "Somos mesmo um de cada, individualmente".

No dia seguinte a mais um bombardeamento russo na segunda cidade ucraniana, aconteceu o embarque dos quatro que já estava a ser planeado.

Palestina

Na cidade de Gaza, Palestina as forças armadas de Israel estão omnipresentes e respondem a pedradas com armas G5- da última geração. Em fevereiro jovens palestinos marcharam com espingardas... de madeira ... a mostrar como está o equilíbrio.

Esta semana, o Estado de Israel apresentou em tribunal quatro palestinos, residentes de Jerusalém acusados de terrorismo.

Este sábado, faz uma semana que na estrada a conduzir os nove quilómetros entre o ginásio em Jenin e a casa na aldeiazinha de Deir Ghazaleh, Sudki Adwani, de 20 anos, foi alvo de 31 tiros disparados por soldados, pouco depois das 22H30.

Os "bravos rapazes" das Forças de Defesa de israel — durante uma operação ofensiva na autoestrada a cerca de 100 km da capital — retiraram do carro baleado o seu inocente alvo, "furado" pelos estilhaços das mais de três dezenas de balas.

"Arrastaram-no até à rotunda", "fotografaram-no" com os seus vários ferimentos e por fim deixaram-no. Abandonado e sem lhe prestar socorro.

Foi cerca da meia-noite e mais de uma hora depois de o abandonarem que os soldados chamaram os serviços de emergência. A ambulância da Palestina que acudiu foi encontrar o jovem ferido, seminu, debaixo da chuva.

Remata o Haaretz: "Para cúmulo, as autoridades israelitas tiraram ao Firas Adwani", pai de Sudki, "a autorização para trabalhar em Israel". Pai desempregado, filho paralisado.

Fontes: Haaretz /Times of Israel/ AFP. Relacionado: Israel duplo/neutro: Bennett visita Putin — Fornece sistema de defesa aéreo à Finlândia anti-Rússia, 06.mar.022; Guerra Rússia/Ucrânia: Oligarcas russos alvo de sanções refugiam-se em Israel, 12.mar.022.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project