ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Turistas do paquete português "Vasco da Gama" com estadia prolongada em São Vicente 03 Dezembro 2021

O paquete português "Vasco da Gama" cumpre hoje o terceiro dia atracado no porto da ilha de São Vicente, na sua estreia em Cabo Verde, com mais de 300 turistas que aproveitam para visitar a cidade do Mindelo.

Turistas do paquete português

Conforme a Lusa, proveniente do arquipélago espanhol das Canárias, o navio de cruzeiro de 220 metros de comprimento chegou a Cabo Verde na quarta-feira e devia ter atracado no Porto Novo, ilha de Santo Antão, o que não aconteceu devido ao estado do mar, antecipando dessa forma a chegada à ilha de São Vicente.

Imprevistos por que passaram os passageiros Konstantin, Stephan e Sebastian, que agora têm mais tempo para conhecer melhor a cidade do Mindelo.

“Todos os anos viajo e é a primeira vez, finalmente, nesta cidade. Era suposto ser mais curta porque era para estarmos em Santo Antão, mas não pudemos devido às condições meteorológicas” afirmou à Lusa o alemão Sebastian.

Naturais da Alemanha, Ucrânia e dos Estados Unidos, este grupo de amigos não está preocupado com o atual momento global da pandemia, assumindo que estando vacinados e com os meios de proteção a bordo sentem-se mais seguros.

“Os países não estão com muita sorte com a covid-19 neste momento, nunca sabemos como vai ser, pois o inverno aproxima-se e esperamos para ver como a situação na Europa vai ficar. Mas no navio estamos todos vacinados, não esperamos nenhum sintoma, nem nenhuma dificuldade, por isso estamos confiantes que a viagem irá correr bem”, contou o turista.

Segundo ainda a Lusa, este é o oitavo navio de cruzeiro a escalar Cabo Verde desde a retoma da atividade, em outubro. De acordo com informação da empresa pública Enapor, que gere os portos de Cabo Verde, aquele navio cruzeiro, com bandeira de Portugal, propriedade da Mystic Cruises, estreia-se assim no arquipélago, com escalas previstas ao longo de cinco dias.

Construído há cerca de 30 anos e adquirido em 2020 pelo empresário português Mário Ferreira, o “Vasco da Gama” foi sujeito a uma profunda modernização nos estaleiros da Lisnave, de onde saiu em julho passado com capacidade para transportar 1.250 passageiros e mais de 500 tripulantes.

Em Cabo Verde, deveria ter atracado na quarta-feira no Porto Novo, mas devido às condições metereológicas e de mar, com o vento que se faz sentir e a maré agitada, o “Vasco da Gama” seguiu para a vizinha ilha de São Vicente, para ali permanecer dois dias atracado no Porto Grande, o mais procurado no arquipélago por navios de cruzeiro, e com passagens previstas ainda pelos portos das ilhas do Sal e da Boa Vista, até 05 de dezembro.

Trata-se do oitavo navio de cruzeiro a escalar Cabo Verde desde 19 de outubro, quando o “MS Europa 2” chegou ao Porto Grande, no Mindelo, o primeiro então a atracar no arquipélago com turistas em 19 meses, atividade suspensa até então devido às restrições impostas pela pandemia de covid-19. Na programação da Enapor, estão previstos mais dois navios de cruzeiro a escalar Cabo Verde em dezembro.

“Um novo capítulo começa a ser escrito no setor do turismo de cruzeiro nacional, após cerca de 19 meses de paralisação total”, descreveu em outubro fonte da Enapor. Cerca de 48.500 turistas em viagens em 149 navios de cruzeiro visitaram Cabo Verde em 2019, o melhor registo de sempre e um aumento de 3% face ao ano de 2018, segundo dados anteriores da Enapor.

Lembra a Lusa que o primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, anunciou na semana passada que as obras de construção do Terminal de Cruzeiros do Mindelo, arrancam já em janeiro. O consórcio luso-cabo-verdiano constituído pelas empresas Mota-Engil e Empreitel Figueiredo foi selecionado em abril para construir este terminal, uma das maiores obras públicas dos últimos anos em Cabo Verde.

A obra foi adjudicada por 26.483.603 euros, co-financiada pelo Fundo ORIO, dos Países Baixos, e pelo Fundo OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) para o Desenvolvimento Internacional, e tem um prazo estimado para conclusão de 22 meses. Após a sua conclusão, o Governo cabo-verdiano prevê que seja possível captar anualmente 200.000 turistas de cruzeiros.

De acordo com a empresa Enapor, com o levantamento das restrições anteriores, impostas para conter a transmissão da pandemia de covid-19, os portos de Cabo Verde voltaram a receber navios de cruzeiro com passageiros a partir de 19 de outubro, prevendo então “cerca de 68 escalas até ao final do ano”.

“É um sinal animador e servirá como um teste a um regresso seguro dos cruzeiros, atendendo as novas condições de segurança para a receção desses navios”, explicou a Enapor, aquando da escala do “MS Europa 2”, sobre as novas regras definidas desde julho último pelo Governo, possibilitando a entrada no país com certificados que atestem o esquema de vacinação completa contra a covid-19, sem necessidade de testes.

Devido à covid-19, o turismo de navios de cruzeiro ficou, prossegue a mesma fonte, paralisado desde o início da pandemia no arquipélago, em março de 2020, mas alguns países já retomaram, de forma gradual, a atividade.

“Pretende-se uma retoma progressiva e sustentada dos cruzeiros e neste sentido os Portos de Cabo Verde, em concertação com as entidades de saúde e demais parceiros, encontram-se preparados para a receção desses navios, estando definido os protocolos necessários ao cumprimento de todas as normas de higiene e segurança impostas pela situação epidemiológica atual”, destacou a Enapor, conclui a Lusa.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project