LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

UE confiante de que legislativas na Guiné-Bissau vão decorrer de forma “muito democrática” 07 Mar�o 2023

A União Europeia está confiante de que as eleições legislativas na Guiné-Bissau, marcadas para 04 de junho, vão decorrer de “forma calma e muito democrática”, afirmou hoje o embaixador daquela organização em Bissau, Artis Bertulis.

UE confiante de que legislativas na Guiné-Bissau vão decorrer de forma “muito democrática”

Estamos confiantes de que as eleições de 04 de junho vão decorrer de forma calma e muito democrática e nós reconhecemos os esforços do Presidente da República e do Governo para garantir que as eleições sejam livres e transparentes”, disse o embaixador.

Artis Bertulis falava à imprensa após um encontro com o presidente da Assembleia Nacional Popular, Cipriano Cassamá, durante o qual foi discutido, entre outros assuntos, o desenvolvimento democrático da Guiné-Bissau.

Questionado pelos jornalistas sobre se a União Europeia vai dar apoio financeiro ao processo eleitoral, o embaixador Artius Bertulis disse que estão a trabalhar com os outros parceiros internacionais nesse sentido.

“Nós vimos de forma muito positiva o esforço feito pelo Governo para financiar em 70% as eleições legislativas. Sabemos dessa importância e vamos trabalhar juntos com os parceiros internacionais e como sempre a União Europeia vai apoiar significativamente as eleições, é a minha prioridade”, salientou.

As eleições legislativas da Guiné-Bissau estão orçadas em 7,9 mil milhões de francos cfa (cerca de 12 milhões de euros), segundo o ministro das Finanças guineense, Ilídio Té.

DE acordo com o ministro, até ao início de fevereiro, o Estado guineenses já tinha disponibilizado 5,7 mil milhões de francos cfa (cerca de 8,6 milhões de euros).

No início de janeiro, o ministro da Administração Territorial, Fernando Gomes, tinha afirmado que o Governo guineense já tinha financiado 70% do valor orçamento para a realização das eleições legislativas, esperando que os restantes 30% fossem apoiados pelos parceiros internacionais.

O Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, dissolveu a Assembleia Nacional em maio e marcou as legislativas para 18 de dezembro do ano passado, mas o Governo, após encontros com os partidos políticos, propôs que as eleições fossem adiadas para maio deste ano.

Umaro Sissoco Embaló marcou o escrutínio para 04 de junho.

A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project