A Semana

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

UNTC-CS acusa Governo de fomentar conflitos sindicais internos para enfraquecer força reivindicativa dos sindicatos 03 Setembro 2021

A secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores de Cabo Verde – Central Sindical (UNTC-CS), Joaquina Almeida, acusou, hoje, na cidade da Praia, o Governo de fomentar conflitos sindicais internos para enfraquecer a força reivindicativa dos sindicatos.

UNTC-CS acusa Governo de fomentar conflitos sindicais internos para enfraquecer força reivindicativa dos sindicatos

Em conferência de imprensa reportada pela Inforpress, a secretária-geral da UNTC-CS denunciou publicamente “a atitude do Governo e de algumas instituições públicas, de ingerência em assuntos internos da organização”.

“Essas atitudes perpetradas de forma consciente e deliberada têm promovido conflitos intersindicais e fomentado, cada vez mais, a discórdia no seio do movimento sindical, descredibilizando e colocando a UNTC-CS como o mal da fita”, disse.

Joaquina Almeida ressaltou que se tem verificado que, tanto o Governo, como algumas instituições públicas têm tido encontros com representantes de “uma organização informal, denominada plataforma sindical, com o lema, unir para resgatar a UNTC-CS”.

“Esses encontros, desprovidos de legalidade, porquanto essa plataforma não existe nem de facto e nem de direito e tão pouco é uma organização sindical, na medida em que a lei reconhece quatro tipos de organização ou associações sindicais, tais como, sindicatos, união, federação e confederação”, completou.

Segundo a mesma fonte, tais encontros, prosseguiu, têm como propósito “legitimar a existência da dita plataforma” e “dividir a UNTC-CS, aumentando assim a clivagem intersindical, contrariando a real função do Governo de promover a harmonia e concórdia sociais e manter imparcialidade em questões que não são da sua alçada”.

Joaquina Almeida disse ainda ser proibido por lei e que é “inaceitável” num Estado de direito a “ingerência” do Governo e instituições públicas nos assuntos internos das organizações sindicais.

Esta sindicalista denunciou ainda que a UNTC-CS solicitou um encontro no dia 11 de Junho último com o ministro da Família, Fernando Elísio Freire, que tutela a pasta do Trabalho, mas que “até hoje não se dignou em responder a solicitação”.

“Entretanto, no passado dia 02 de Agosto acudiu prontamente e participou numa actividade desenvolvida pela dita plataforma, em homenagem a um sindicalista falecido”, queixou, acrescentando que em Dezembro de 2020, a então ministra do Trabalho, Janine Lélis, recebeu em audiência a delegação da referida plataforma.

Ainda nas suas denúncias, Joaquina Almeida cita o director da Rádio de Cabo Verde, Nélio dos Santos, a quem acusa de “deliberadamente” ter bloqueado a emissão do programa radiofónico da UNTC-CS, “tendo por base uma queixa dessa dita plataforma fantasma”.

“Será esse o papel do Governo e das instituições públicas? Dividir para reinar?” questionou a secretária-geral da UNTC-CS, acusando o Governo de fomentar conflitos sindicais internos para enfraquecer a força reivindicativa dos sindicatos.

Prosseguindo, Joaquina Almeida frisou que a UNTC-CS é um parceiro social com assento em diversos órgãos tripartidos e que o Governo “tem o dever de a respeitar, na medida em que é uma organização dotada de Estatuto de Utilidade Pública”.

“O Governo e as demais instituições públicas devem abster-se de intrometer em assuntos dos sindicatos”, finalizou Joaquina Almeida citada pela Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project