ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ucrânia precisa: ’Capacetes azuis’ na RD Congo voltam para casa 18 Setembro 2022

Esta sexta-feira, os militares ucranianos destacados na Monusco-Missão das Nações Unidas na RDC abandonaram o país por ordem do governo de Zelensky. "A pedido do Governo da Ucrânia, as tropas ucranianas retiraram-se oficialmente da Monusco", lê-se no Twitter da missão onusiana.

Ucrânia precisa: ’Capacetes azuis’ na RD Congo voltam para casa

Na hora da despedida dos 250 militares ucranianos, "o comandante da força, o general Marcos da Costa, agradeceu-lhes os seus 10 anos de imensas contribuições e serviços ao povo congolês", acrescenta o comunicado na rede social da Monusco.

A organização onusiana está desde os anos ’90 no Congo e hoje conta com um efetivo de perto de 15 mil militares de 49 países — com destaque para o Paquistão (1.974), Índia (1.888), Bangladesh (1.634), Indonésia (1.037), África do Sul (979), Nepal (936) e Marrocos (923).

A presença da Monusco tem sido objeto de apreciações diversas por parte dos congoleses. Muitos criticam a sua "inação" (link abaixo) que expõe a população civil aos frequentes ataques perpetrados por milícias islamitas do Ruanda e Uganda no leste do Congo rico em minérios.

Mais recente, desde julho vários protestos violentos resultaram em mortes de pelo menos 33 civis e de três militares da Monusco.

Ucrânia: 1 em 4 habitantes emigrou desde 2001

O êxodo da população desde a invasão em 24 de fevereiro — 7,2 milhões de refugiados em países europeus, segundo dados atualizados da ONU — é só mais um dado, já que segundo um censo de 2020 do governo o país perdera desde 2001, data do último censo, nada mais nada menos que 11,2 milhões de habitantes.

De 52 milhões em 1991 para 30 milhões. Os dados demográficos mostram que a população da Ucrânia começou a decair a seguir à independência.

— -

Fontes: Twitter/Monusco-UNO.org/ Relacionado: RDCongo : "Inação da ONU", acusa população que incendiou quartel de capacetes-azuis em represália por ataque islamita que matou 8, 26.nov.019; Congo quer “Capacetes Azuis” fora até 2020 – ONU prepara Conferência Internacional de Doadores, 06.abr.018; Itália anuncia morte de embaixador na RD Congo em ataque a comboio do PAM — Total: 3 mortes, 22.fev.021. Fotos: 1ª- O general Marcos de Sá Affonso da Costa, desde abril de 2021 no comando da Monusco sediada em Kinshasa. É o segundo brasileiro que Guterres coloca consecutivamente no comando da missão onusiana na RDC. 2ª- Leste do país sob frequentes ataques: a perceção dos congoleses é que é reduzida a eficácia da presença da Monusco. 3ª-Despedida dos 250 ucranianos na sexta-feira, 16.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project