INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ucrânia: Rada dividida demite Denisova dos Direitos Humanos — Surpreendente 05 Junho 2022

Esta sexta-feira 3, confirma-se que Lyudmila Denisova, acusada de "viajar para países aprazíveis" em vez de defender a Ucrânia, foi demitida do cargo de comissária nacional dos Direitos Humanos. Na quarta-feira 31, a maioria dos 424/450 representantes nacionais ucranianos na Rada, incluindo o partido de Zelensky "Servidor do Povo", votou pela demissão — que apanhou muitos de surpresa.

Ucrânia: Rada dividida demite Denisova dos Direitos Humanos — Surpreendente

Na quarta-feira 31, a maioria dos 424/450 representantes nacionais ucranianos na Rada, incluindo o partido de Zelensky "Servidor do Povo" — que detém 240 assentos e conta com o apoio de dois partidos, o Para o Futuro e o Dovira, respetivamente com 21 e 20 assentos — votou pela demissão. Surgem reações de "surpresa" no país e a nível internacional, entre organizações pró-DH e associações de jornalistas que elogiam o trabalho de Lyudmila Denisova.

Entre os 190 que votaram contra, está a oposição formada pelo partido da Pátria liderado por Yulia Timoshenko e o partido Solidariedade Europeia, do também ex-presidente Petro Poroshenko.

Duzentos e trinta e quatro deputados votaram em apoio da moção conduzida pelo vice-presidente Pavlo Frolov — do partido no poder, Servidor do Povo — que acusou Lyudmila Denisova de ter falhado em várias missões.

Uma, a abertura de corredores humanitários nas zonas de guerra, outra a libertação de prisioneiros em áreas ocupadas, ou ainda a proteção das populações.

A comissária dos Direitos Humanos, segundo os pró-Zelensky, preferiu proteger-se no decurso da invasão russa em curso há 100 dias. Desde 24 fevereiro, segundo a moção liderada por Frolov, a comissária Lyudmila Denisova esteve fora do país em "viagens para países aprazíveis" em vez de lutar para defender a Ucrânia nas arenas mais duras como a Rússia, que detém "milhares de ucranianos presos", ou a Bielorrússia pró-Putin.
— -

Fontes: DW/AFP/AP. Relacionado: Eleição presidencial ucraniana: Comediante é rosto da Ucrânia ávida de renovação, 21.abr.019. Fotos (Reuters): A Rada arena de contenda. Em 2010, na votação para renovar o contrato de 25 anos da frota russa no Mar de Azov/Mar Negro, a segunda figura do Estado ucraniano, o presidente da Assembleia Nacional/Rada teve de ser protegido por guarda-chuvas enquanto os opositores atiravam bombas de fumo e ovos. Em 11.12.2015, o deputado Oleg Barna, que carregou o primeiro-ministro Arseny Yatseniuk para fora do púlpito, deu início a mais uma briga na Rada.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project