REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Vacinas: Pfizer e Moderna testam 3ª dose em Israel — "Este coronavírus parece que veio para ficar" 08 Fevereiro 2021

A afirmação do título soa em uníssono nas declarações públicas de líderes políticos, económicos, em especial da indústria farmacêutica, por ocasião do Fórum de Davos virtual da última semana. Marcado pelo anúncio na ocasião de que o próximo passo, no programa da vacinação anti-Covid, são as injeções de reforço que vão proteger contra as variantes do coronavírus.

Vacinas: Pfizer e Moderna testam 3ª dose em Israel —

O enorme desafio da vacinação anti-Covid tem mais um obstáculo: as formas mutantes, como a variante B.1.1.7, que em setembro surgiu no sudeste de Inglaterra e contribuiu para aumentar o número de casos de Covid-19 e levou em janeiro, o primeiro-ministro Boris Johnson a declarar, pela segunda vez, o estado de emergência no Reino Unido.

A maior transmissibilidade das formas mutantes do vírus ficou provada, após a B.1.1.7, com o surgimento das variantes na África do Sul e no Brasil.

"Quando surge uma nova variante, deveríamos estar aptos a testar a eficácia da [nossa vacina]", afirmou o porta-voz da Pfizer ao online Bloomberg. "Se descobrimos que não é tão eficaz, devemos poder produzir de imediato uma dose de reforço — que seria uma variação ligeira da atual vacina".

A empresa americana Moderna também anunciou na terça-feira, 2, que o próximo passo, no desenvolvimento da sua vacina anti-Covid, são as injeções de reforço que vão proteger contra as variantes do coronavírus.

Netanyahu ao Fórum de Davos: "Vamos ter de nos vacinar todos os anos"

A propagação pelo mundo das variantes britânica, sul-africana e brasileira, a exigir uma nova atenção sobre as vacinas aprovadas, foi um dos pontos da agenda do Davos virtual. Entretanto, espera-se pelo Davos real, de 17 a 20 de agosto em Singapura.

"Vamos ter de nos vacinar todos os anos", disse o primeiro-ministro de Israel — o país com mais vacinados — na sua intervenção no fórum de líderes mundiais por videoconferência na quarta-feira, 3.

Reforçar medidas de proteção

O mundo vai continuar, não se sabe até quando, a usar máscara facial. Entretanto, prosseguirá a discussão sobre qual a máscara mais eficaz. Mas sobretudo tem de ser dada atenção à comunicação, perante os anseios das populações em relação às medidas emanadas autoritariamente e cujo alcance muitas vezes lhes é incompreensível.

Continuaremos a ritmar o nosso quotidiano com as medidas de higienização e os gestos-barreira em que o distanciamento social se afirma como uma nova forma de etiqueta mesclada de compaixão.

Os apelos para as medidas de proteção individual têm de continuar, porque o coronavírus que veio para ficar, as vacinas cuja eficácia muda com o surgimento de novas variantes, são novas realidades com as quais o mundo tem de aprender a viver.

Fontes: Times of Israel/ BBC/CNBC/Outras referidas. Relacionado: Covid EUA: 30 milhões vacinados, mas variantes britânica e sul-africana ameaçam — "Prioridade é dar 1ª dose ao máximo de pessoas", 02.fev.021; África do Sul: Estirpe 501.V2 põe país em alerta — "Jovens em maior risco", avisa ministro da Saúde, 27.dez.020;Vacina Pfizer nos EUA: Ricos furam fila — "Estou disposto a dar 25 mil...",19.dez.020. Foto: Davos Virtual centrado na Covid-19.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project