INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Venezuela: Parlamento destitui Guaidó e declara-o inelegível — "Ridícula" destituição dizem o próprio e Trump 29 Mar�o 2019

O autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, foi esta quinta-feira, 28, destituído do cargo de presidente do Parlamento e declarado inelegível por 15 anos. Entretanto, o mesmo diz que não tem efeito a destituição proclamada pelo auditor-geral e na mesma linha Trump já disse que é "ridícula".

Venezuela: Parlamento destitui Guaidó  e declara-o   inelegível —

Sessenta e quatro dias depois da autoproclamada presidência de Juan Guaidó, que a 23 de janeiro, na qualidade de presidente do parlamento decidiu substituir o presidente Nicolás Maduro, o auditor-geral da Venezuela reuniu o parlamento para o destituir e tornar inelegível durante quinze anos.

O auditor-geral da Venezuela decidiu “proibir o exercício de toda e qualquer função eletiva ao cidadão (Juan Guaidó) durante o prazo máximo previsto na lei", disse Elvis Amoroso, o auditor-geral, na quinta-feira, 28, na televisão nacional.

Contudo, Juan Guaidó já declarou que não existe auditor-geral, pois que Amoroso foi nomeado pela Assembleia Constituinte favorável a Maduro.

"O órgão competente para nomear o auditor-geral é o parlamento e não a Assembleia Constituinte favorável a Maduro", afirmou Guaidó que parecia sorridente à saída dessa reunião "ridícula".

O processo autoproclamatório — que parecia kafkiano e acabou no entanto por ser endossado por mais de cinquenta países, a começar pelos Estados Unidos, União Europeia – afinal ainda não terminou...

Fontes: Le Monde/DW.de. Foto: Guaidó à saída da reunião que o tinha destituído. Horas antes convocara uma manifestação para sábado, contra os apagões.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project