CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Porto Novo: Pais continuam braço-de-ferro com ME e anunciam manifestação para sexta-feira 10 Outubro 2018

Os pais e encarregados de educação da Ribeira da Cruz, Martiene, Chã de Norte e Jorge Luís, no Porto Novo, continuam o braço-de-ferro com o Ministério da Educação (ME) e anunciam, para sexta-feira, uma manifestação para exigir “melhores condições de estudo” para seus educandos.

Porto Novo: Pais continuam braço-de-ferro com ME e anunciam manifestação para sexta-feira

No âmbito da implementação da nova matriz curricular, que abarca a leccionação das línguas inglesa e francesa, 26 alunos do quinto e sexto anos dessas localidades, com idade compreendida entre 10 e 11 anos, têm de se deslocar à Ribeira das Patas, que fica a mais de uma dezena e meia de quilómetros de distância, para assistir às aulas, segundo revela a Inforpress.

Para a mesma fonte, a maioria dos pais e encarregados de educação diz ter optado pela suspensão da deslocação dos os seus educandos à Ribeira das Patas, alegando que a essa deslocação vai “implicar a quebra no aproveitamento e uma total desmotivação” por parte dos alunos.

“Os nossos educandos, que saem de casas às 06:00 e só regressam às 15:00, estão sendo obrigados a frequentar as aulas em Ribeira das Patas, localidade que fica a vários quilómetros de distância em relação às suas zonas de residência”, informam esses pais, segundo os quais se trata de “situação lamentável e insuportável” para os alunos.

Através de um abaixo-assinado, esses pais, que consideram que em Ribeira da Cruz há salas de aulas vagas e com condições para receber os alunos, marcaram para sexta-feira, uma manifestação na cidade do Porto Novo, a qual vai culminar com uma concentração frente à delegação do ME, para exigir “melhores condições de estudo” para seus educandos.

Os pais dizem temer ainda os riscos de insegurança e “provável insucesso escolar” dos seus educandos, e acreditam que, em Ribeira da Cruz, há condições para receber os alunos.

Conforme a delegada do ME no Porto Novo citada pela Inforpress, Felizmina Reis, os alunos vão continuar a frequentar as aulas em Ribeira das Patas, até que se resolva a questão, que está a ser analisada por este ministério.

“A situação está sendo analisada mas, por enquanto, não temos uma outra solução senão os alunos continuarem a frequentar as aulas em Ribeira das Patas, até que se resolva a questão”, adiantou a responsável .

A delegada do ME no Porto Novo reconhece a “legitimidade” das reclamações do pais, mas lembra que, desde o ano transacto, tem sido “a única saída” para fazer com que todos os alunos tenham as mesmas oportunidades em estudar, no quadro das novas alterações contempladas na revisão curricular, que contempla a introdução das línguas estrangeiras, Francês e Inglês, a partir do quinto ano, refere a Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project