ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Rui Figueiredo e caso de briga na AN: Deputados do MpD vão “fazer de tudo” para que Moisés Borges seja destituído de todas as responsabilidades de deputado 13 Novembro 2018

O MpD vai usar a sua maioria parlamentar para «vingar» do deputado da oposição Moisés Borges, que aplicou o eleito ventoinha Emanuel Barbosa um forte soco na testa, com a justificação de que vinha sofrendo agressões verbais graves e persistentes por parte de Barbosa na Assembleia Nacional. É que o líder da bancada do Movimento para Democracia (MpD- no poder) acaba de anunciar, hoje,12, na Cidade da Praia, que os deputados do partido vão “fazer de tudo” para que Moisés Borges seja destituído de todas as responsabilidades internas que tem como deputado.

Rui Figueiredo e caso de briga na AN: Deputados do MpD vão “fazer de tudo” para que Moisés Borges seja destituído de todas as responsabilidades de deputado

Rui Figueiredo, que falava em conferência de imprensa, para fazer o balanço das jornadas parlamentares de preparação para a primeira sessão do mês de Novembro, acrescentou que essa destituição vai ser ao nível da Rede Parlamentar do Ambiente e da vice-presidência de uma comissão especializada.

“Iremos imediatamente agir neste sentido, para que actos desta natureza, que põem em causa o bom nome do parlamento e o funcionamento da própria democracia, não fiquem impunes e para que deputados que cometam agressões contra colegas sejam responsabilizados”, prometeu, segundo a Inforpress.

No entanto, Rui Figueiredo apelou à serenidade de todos os sujeitos parlamentares e que se demarquem deste acto para que “reine a paz, a harmonia e a tolerância” nesta casa da palavra e da democracia.

Conforme a mesma fonte, o líder parlamentar do MpD avisou que nenhuma agressão vai afastar o partido do seu propósito de exigir responsabilidades a quem gere a coisa pública.

“É um acto de agressão à democracia e à Casa Parlamentar, onde deve reinar o bom senso, o entendimento e a resolução pacífica de conflitos ou de opiniões diferentes. Sabemos que esta agressão vem na sequência de tomadas de posição de denúncias feita pelo deputado Emanuel Barbosa, em nome do grupo parlamentar relativamente às questões do Fundo do Ambiente”, acusou Rui Figueiredo.

Por isso, o deputado garantiu que o grupo parlamentar solidariza-se com o deputado Emanuel Barbosa e que vai prestar toda a assessoria para que este “acto hediondo e inédito no nosso Parlamento” não fique impune.

Emanuel Barbosa, eleito nas listas do Movimento para a Democracia (MpD), alega que foi agredido à traição por Moisés Borges, enquanto este deputado do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) diz que respondeu a uma tentativa de ataque por parte do seu colega.

O caso e opinião pública

Entretanto, apesar de existir um entendimento geral de que a prática de agressão entre titulares de cargos políticos não deve fazer escola no parlamento nacional, a maioria da opinião pública - com destaque para aqueles que seguem as sessões da AN via Rádio e TV - apoia Moisés Borges. Isto por considerarem que tudo tem limite (ver inúmeros comentários no Asemanaonline), visto que Emanuel Barbosa o vinha agredindo verbalmente e de forma grave com acusações permanentes, sem que o caso relativo ao Fundo de Ambiente esteja julgado e a Mesa da AN tenha posto termo a isso. Seja como for, o bom senso recomenda que o debate democrático deve ser feito com elevação, respeito mútuo, sem injuria, difamação sem provas e violência.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project